Cassilândia, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

05/03/2008 16:28

Embriões congelados não podem ser comparados a pessoas

Irene Lôbo/ABr

Brasília - O advogado da organização não-governamental Conectas Direitos Huamnos, Oscar Vilhena, iniciou sua sustentação oral afirmando que a questão fundamental que o Supremo Tribunal Federal (STF) deverá julgar, proposta na Ação Direta de Inconstitucionalidade que questiona a Lei de Biossegurança não tem, na verdade, uma única solução. Segundo Vilhena, há mais de 17 definições acerca de quando seria o início da vida.

A grande questão jurídica, segundo Vilhena, é saber se os embriões congelados, considerados inviáveis, podem ser equiparados a uma pessoa. "É preciso saber se o embrião que é inviável e será descartado pode ser equiparado a uma pessoa, experiência existencial única, com relações afetivas e emocionais, potencialidade e autonomia. Será que a morte de uma pessoa pode ser equiparada a um embrião que, por uma falha interna, não gerará qualquer ser humano?", questionou.

Já respondendo a essa questão, Oscar Vilhena afirmou que a comparação entre embrião e pessoa não pode ser feita, uma vez que não é possível comparar um conjunto de células com quatro ou cinco dias e sem um sistema neural existente com uma pessoa com a qual já é possível se relacionar.

O advogado lembrou que a Constituição brasileira, uma das mais completas do mundo, não faz menção aos direitos antes do nascimento. Segundo ele, tal responsabilidade foi transferida para o legislador ordinário (no caso, o Congresso Nacional), que aprovou em 2005 a Lei de Biossegurança. "Houve audiências públicas, a possibilidade que todos se manifestassem, e assim ficou decidido, o que não significa que seja uma decisão imutável", ponderou.

Por fim, o jurista afirmou que não vê na Lei de Biossegurança nenhuma parte que afronte gravemente a Constituição Federal e que, ao contrário, a lei ordinária tem o objetivo de ampliar o uso dos embriões congelados ao utilizá-los em prol das pesquisas.

"Não posso ver nessa lei uma afronta grave à Constituição, uma violência à Constituição. Até porque a lei objetiva uma maximização do direito à vida daqueles que perderam a sua expectativa, pela potencialidade das células embrionárias que têm a capacidade de se transformar em todas as outras", avaliou.

No momento, o julgamento foi suspenso por 20 minutos.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)