Cassilândia, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

28/08/2013 06:42

Em Paranhos, costela no tambor é churrasco com a fama de sabor "imbatível"

Ângela Kempfer, Campo Grande News
Foto João GarrigóFoto João Garrigó

 

Só depois de cinco horas, a primeira lasca chega ao prato. Mas quem comeu jura que vale esperar o tempo que for pelo "churrasco de tambor". Em Paranhos, na fronteira com o Paraguai, a cidade praticamente toda conhece o fama, diz o inventor da técnica, Marcelo Mathias.

“Quando não é em família, sempre tem um amigo ou gente que convida para assar em casa”, conta o “especialista”.
Com dois tambores de 200 litros cada, um sobre o outro, ele criou um “defumador” único. No recipiente de cima, tampado, uma grande peça de costela é pendurada, para que a fumaça e o calor vindos de baixo assem a carne aos poucos.

No segundo tambor, a lenha vai queimando, e por um orifício do tamanho de um punho o calor chega à costela. Quando atinge o ponto, a carne chega a se desprender do osso com apenas uma garfada. “Fica com um gosto diferente, incrível, porque o suco da carne continua ali. Não fica aquela costela seca, continua molhada”, comenta Marcelo.

A ideia surgiu com a defumação normal, de linguiça de porco, até que o desafio foi descobrir como ficaria o churrasco feito em um sistema semelhante. “Aumentamos o fogo e assamos de uma só vez um carneiro inteiro. Daí, partimos para a costela.”


Hoje, na hora de escolher o produto no açougue, a peça é comprada completa, com a fraldinha e a ponta de peito. Depois, é pendurada por ganchos no tambor, como em frigoríficos. O espeto não é usado.

O tempero também não é o convencional. Os ingredientes são: 1 litro de mostarda, 2 cebolas grandes, 1 cabeça de alho, cheiro ver e tempero completo a gosto, meio copo de óleo de soja e um copo de vinagre de hortelã. “Depois tem de bater tudo no liquidificador e injetar na carne. Não é para passar, tem de injetar mesmo”.

Marcelo explica que é preciso deixar a costela temperada por mais 12 horas, na geladeira. “No meu caso, desligo o freezer e deixo lá”.

Uma dica importante é sobre a madeira usada como lenha. “Nunca use madeira que tenha cheiro, como o ipê. Isso amarga a carne de tal forma que não dá para comer. Tem de usar angico, peroba ou até eucalipto”. Também não é aceito carvão.

O tempo ali, ao lado do fogo, não é problema garante. “O chato é que fica um monte de gente ‘namorando’ o churrasqueiro e pedindo para abrir o tambor e ver a costela. Cada vez que é aberto, tenho de ajustar de novo a temperatura e o tempo vai aumentando”, conta.

Um churrascão desses de tambor produz cerca de 20 quilos de carne, o que alimenta “umas 45 pessoas” diz Marcelo.

 

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)