Cassilândia, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

02/08/2011 21:24

Em carta ao partido, prefeito de Alcinópolis se defende da acusação de assassinato

Paulo Fernandes, Campo Grande News

Por meio da assessoria jurídica, o prefeito afastado de Alcinópolis, Manoel Nunes da Silva, enviou uma carta ao Partido da República dizendo que a sua prisão “possui nítido interesse político”. O documento é datado de 28 de julho e teve o conteúdo divulgado pela assessoria de imprensa do partido nesta terça-feira.

É a primeira vez que ele se manifesta desde que foi preso, no dia 20 de julho, acusado de envolvimento na morte do então presidente da Câmara, vereador Carlos Antônio Carneiro, no dia 26 de outubro, em Campo Grande. “A prisão temporária foi decretada com respaldo numa situação abstrata que sequer era necessária para o encerramento do inquérito”, afirma.

A defesa teve acesso ao inquérito policial no dia 22 de julho. Ela afirma não haver “absolutamente nenhuma prova concreta ou cabal que demonstre o envolvimento ou participação de Manoel Nunes da Silva no crime”.

“Não há absolutamente nenhum registro telefônico que ligue direta ou indiretamente Manoel Nunes da Silva ao criminoso, ao contrário, os registros e as degravações telefônicas demonstram que Manoel Nunes da Silva somente tomou ciência do crime exatamente no dia do fato”, dizem os advogados.

Ainda em nome do prefeito, a defesa conta que “o prefeito Manoel Nunes da Silva nega veementemente qualquer tipo de envolvimento no crime, acreditando que sua prisão possui nítido interesse político, pois a única pessoa que sempre o acusou desde o início tinha e tem interesse na sua prisão para assumir a Prefeitura de Alcinópolis”. O pai do vereador assassinado é Alcino Carneiro (PDT), vice-prefeito da cidade, que tomou posse com a prisão de Manoel.

“Não estão presentes, definitivamente, os requisitos necessários para a decretação da prisão temporária que culminou no recolhimento de Manoel Nunes da Silva”, diz a defesa.

“Após a prisão não foi ouvida nenhuma testemunha (até porque já foram ouvidas 60) e nenhuma diligência foi feita pela Delegada que preside o inquérito, aliás, a Delegada informou que está encerrando o Inquérito sem que nenhuma diligência fosse realizada, ou seja, a prisão temporária foi decretada com respaldo numa situação abstrata que sequer era necessária para o encerramento do inquérito”, acrescenta.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
Quinta, 01 de Dezembro de 2016
11:00
Mundo Fitness
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)