Cassilândia, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

01/09/2010 10:43

Dos nove vereadores detidos pela PF, três são candidatos

Campo Grande News/ Fernanda França

Dos nove vereadores de Dourados detidos pela Polícia Federal por meio da operação Uragano, três são candidatos nestas eleições.

O presidente da Câmara, Sidlei Alves (DEM), e os vereadores Aurélio Bonatto (PDT) e Marcelo Barros (DEM) estão concorrendo ao cargo de deputado estadual.

Sidlei e Marcelo disputam uma das 24 cadeiras da Assembleia Legislativa pela coligação “Amor, Trabalho e Fé”, encabeçada pelo governador André Puccinelli (PMDB).

Já Aurélio Bonatto concorre pela coligação “A Força do Povo”, liderada por Zeca do PT.

Ao todo, Dourados tem 12 vereadores, dos quais nove estão presos, acusados de envolvimento em fraude de licitações, formação de quadrilha, enriquecimento ilícito e corrupção.

Além de Bonatto, Sidlei e Marcelo Barros, foram presos Edvaldo Moreira (PDT), Humberto Teixeira Junior (PDT), José Carlos Cimatti Pereira (PSB), José Carlos de Souza, o Zezinho da Farmácia (PSDB), Júlio Luiz Artuzi (PRB), que é tio do prefeito Ari Artuzi (PDT), e Paulo Henrique Amos Ferreira, o Bambu (DEM).

É a segunda vez que o presidente da Câmara é preso pela Polícia Federal, assim como Bambu e Júnior Teixeira. No ano passado, a acusação era de envolvimento em esquema fraudulento de execução de serviços, principalmente funerários. O cabeça do esquema era o empresário Sizuo Uemura. A operação, na época, foi batizada de Owari, que significa ponto final em japonês.

O prefeito chegou há pouco à sede da Polícia Federal, depois de ter sua prisão temporária decretada e sua casa revistada por agentes. Vários secretários também estão presos e empresários estão detidos para depoimento.

O vereador Gino Ferreira (DEM), que é segundo suplente de Waldemir Moka (PMDB) na corrida pelo Senado, também está na sede da PF, mas só para prestar depoimento. Não há mandado de prisão expedido contra ele.

De acordo com a Polícia Federal, as fraudes consistem no direcionamento de licitações por meio de corrupção de servidores públicos e agentes políticos. Os acordos fechados com as empresas escolhidas ilicitamente rendiam 10% do valor do contrato.

Segundo a PF, os valores arrecadados serviam para o pagamento de diversos vereadores de Dourados, para caixa de campanha e compra de bens pessoais ao prefeito.

Cerca de 200 policiais federais estão envolvidos na operação.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)