Cassilândia, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

14/08/2004 09:10

Donos do próprio negócio se sentem mais bem-humorados

Lana Cristina/ABr

Tranqüilidade e bom humor foi a principal mudança detectada no comportamento de trabalhadores do Rio Grande do Sul que optaram por gerenciar a própria empresa. O comportamento dos trabalhadores foi revelado por uma pesquisa, realizada pelo Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (Ibase), a pedido da Associação Nacional de Trabalhadores em Empresas de Autogestão (Anteag). São os primeiros indicadores de um segmento que cresce a cada dia no país, o das empresas ou indústrias em estado de pré-falência recuperadas com base no regime cooperativo.

Os resultados foram publicados em livro editado pela Anteag e produzido pelo Ibase. A obra foi lançada hoje, no 1º Encontro Nacional de Empreendimentos de Economia Solidária. O evento se realiza em Brasília até o próximo domingo e reúne mais de dois mil trabalhadores e trabalhadoras de todo o Brasil que gerenciam o próprio negócio.

Mais de 62% dos trabalhadores ouvidos responderam que seu comportamento pessoal mudou ao trabalhar numa empresa de autogestão. A mudança mais significativa, com 19% de indicações, foi o ganho no estado de humor. Os trabalhadores disseram que estão mais tranqüilos e bem humorados. Na seqüência, as mudanças principais apontadas foram: estar mais responsável, se tornar mais cooperativo e solidário, sentir que cresceu pessoalmente e sentir que cresceu profissionalmente.

Segundo o coordenador do estudo, o pesquisador João Roberto Lopes, a maior lição da pesquisa é que a autogestão gera fatos positivos também no campo pessoal, da satisfação, critérios nem sempre julgados em programas de avaliação no trabalho formal. "Constatamos também que a autogestão existe de fato e que gera cooperação. É um sistema onde a riqueza é partilhada", disse.

Um dado curioso apontado por Luigi Verardo, integrante da equipe técnica da Anteag e um dos organizadores do evento, foi a tendência feminina de evasão. "Quando perguntadas se deixariam de investir na sua empresa ao receber uma proposta para voltar a ser empregado com carteira assinada, com salário igual ao rendimento que a empresa proporciona, 55% delas disseram que sim, enquanto 85% deles disse que não", observou.

Foram ouvidos 367 trabalhadores de 13 indústrias recuperadas com base no regime cooperativo. A pesquisa mostrou ainda que a maioria acredita no crescimento do próprio negócio, se sente dono da empresa, além de mais empenhado e mais responsável pelo trabalho

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)