Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

30/05/2015 07:06

Dólar avança 5,8% ante real em maio e fecha a R$ 3,1873

Reuters / Midiamax

O dólar fechou em alta ante o real nesta sexta-feira (29) e encerrou maio com avanço, diante de expectativas de que o Banco Central continue no mês que vem com sua política de reduzir a intervenção no mercado de câmbio.

A moeda norte-americana subiu 0,74%, a R$ 3,1873 na venda, maior nível de fechamento desde 31 de março, quando foi a R$ 3,1909. Em maio, a divisa acumulou avanço de 5,78%, no oitavo mês de valorização dos últimos nove meses. O giro financeiro ficou em torno de US$ 1,4 bilhão nesta sessão, segundo dados da BM&F.

Segundo analistas, a pressão cambial tende a continuar no médio prazo, à medida que se aproxima o aumento de juros nos Estados Unidos e diante da menor atuação do Banco Central (BC). No entanto, alguns veem espaço para alívio no curto prazo.

O BC tem afirmado repetidamente que o estoque de swaps cambiais já atende à demanda por proteção do mercado financeiro brasileiro, alimentando expectativas de que pode rolar cada vez menos contratos daqui para frente. Neste mês, a autoridade monetária rolou cerca de 70% dos contratos que vencem em junho e o próximo lote, que vence em 1º de julho, equivale a US$ 8,742 bilhões.

"Eu não me surpreenderia se o BC acelerasse a desmontagem dessa política (de swaps cambiais)", afirmou a economista-chefe da XP Investimentos, Zeina Latif. "É óbvio que quando você anuncia o fim do programa, você gera volatilidade, mas a alta do dólar é um movimento global e cíclico, não faz sentido manter o programa."

A perspectiva de alta dos juros nos EUA vem pressionando o câmbio globalmente. Nesta sessão, contudo, a expectativa de que o banco central norte-americano deverá elevar os juros ainda este ano perdeu um pouco de força, após a maior economia do mundo contrair no primeiro trimestre.

"Se estivéssemos em um momento de maior volatilidade, se houvesse o temor de uma espiral mais forte no câmbio, faria sentido (manter o programa). Hoje, esse grau de volatilidade da moeda traz preocupação? Não", acrescentou Zeina.

A alta do dólar nesta sessão foi corroborada também pela contração do PIB do Brasil no primeiro trimestre. Embora a queda tenha vindo menor que o esperado por analistas, investidores viram nos detalhes do relatório sinais de que a economia brasileira não voltará a crescer tão cedo.

Alívio no curto prazo?

Alguns analistas, no entanto, veem espaço para algum alívio nas cotações no curto prazo. O BNP Paribas espera que o dólar feche este ano a R$ 3,20 e o ano que vem a R$ 3,40, mas estima que o valor justo do dólar no curto prazo está em torno de R$ 3,06 e, por isso, recomenda apostas táticas na queda do dólar.

"Pode haver uma correção nos próximos dias", disse o gerente de câmbio da corretora Treviso, Reginaldo Galhardo. Na primeira parte desta sessão, a volatilidade foi acentuada pela briga antes da formação da Ptax de maio.

A Ptax é uma taxa calculada diariamente pelo BC que serve de referência para diversos contratos cambiais. Operadores costumam disputar para influenciar a taxa do último pregão do mês, que determina a cotação utilizada para precificar o primeiro contrato futuro de dólar negociado na BM&F, um dos mais líquidos do mercado financeiro brasileiro.

"Último dia do mês é sempre assim: Ptax pressiona e o mercado especula sobre a rolagem dos swaps do BC. O fundamento fica de lado", disse o superintendente de câmbio da corretora TOV, Reginaldo Siaca.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)