Cassilândia, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

02/07/2015 12:54

Dois mudam de posição e 5 de MS votam pela redução da maioridade

Antonio Marques, Campo Grande News
Depois de ser derrotado na quarta-feira, o presidente da Câmara dos Deputados venceu na segunda tentativa e a redução da maioridade penal foi aprovada nessa madrugada (Foto: Luis Macedo Câmara dos Deputados)Depois de ser derrotado na quarta-feira, o presidente da Câmara dos Deputados venceu na segunda tentativa e a redução da maioridade penal foi aprovada nessa madrugada (Foto: Luis Macedo Câmara dos Deputados)

Diferente de ontem, 1º, em que a bancada de Mato Grosso do Sul votou dividida, mas com maioria, contra a PEC 171/93 da redução da maioridade penal. Na madrugada de hoje, 2, os parlamentares sul-mato-grossenses mudaram de posição e, com cinco votos a favor, aprovaram o novo texto reduzindo a maioridade penal, de 18 para 16 anos, nos casos de crimes hediondos (estupro, sequestro, latrocínio, homicídio qualificado e outros), homicídio doloso e lesão corporal seguida de morte. Apenas o deputado Dagoberto (PDT) manteve o voto contrário.

O texto aprovado é uma emenda dos deputados Rogério Rosso (PSD-DF) e Andre Moura (PSC-SE) à proposta de emenda à Constituição da maioridade penal (PEC 171/93). A sessão foi tumultuada e muito questionada pelos deputados que venceram a votação na quarta-feira, que acusaram o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB) de "golpista" e manobrar para conseguir vencer a questão.

Ontem os deputados Dagoberto Nogueira, Mandetta (DEM), Tereza Cristina (PSB) e Vander Loubet (PT) votaram contra a PEC 171; enquanto Carlos Marun e Geraldo Resende (ambos do PMDB) e Elizeu Dionísio (SD) foram a favor. Zeca do PT não compareceu ao Plenário, por estar de licença médica.

Na madrugada de hoje, apenas Dagoberto Nogueira manteve o voto não. Vander Loubet e Zeca do PT não compareceram à votação e os outros parlamentares votaram a favor da nova proposta. Mudaram de posição o deputado Mandetta, que ontem estranhamente, contrariando a orientação partidária, votou contra; e a deputada Tereza Cristina, que dessa vez não acatou a decisão do seu partido, e foi a favor.

Apesar de o presidente Eduardo Cunha declarar que a medida não contrariava o regimento da Casa, a nova proposta mantém-se, porém, a regra de cumprimento da pena em estabelecimento separado dos destinados aos maiores de 18 anos e dos menores inimputáveis. A União, os estados e o Distrito Federal serão responsáveis pela criação desses estabelecimentos diferenciados.

Por outro lado, o dispositivo que impedia o contingenciamento de recursos orçamentários destinados aos programas socioeducativos e de ressocialização do adolescente em conflito com a lei não consta da emenda aprovada.

Um dos autores da emenda aprovada, o deputado Andre Moura ressaltou a necessidade de coibir a participação de jovens em crimes. “Em momento algum afirmamos que vamos resolver o problema da segurança do País, mas vamos dar limites para esses marginais disfarçados de menores”, disse. Já a líder do PCdoB, deputada Jandira Feghali (RJ), opinou que a proposta continua ampla. “Basta mudar a lei de crimes hediondos e se volta tudo (o que estava previsto no texto rejeitado ontem)”, criticou.

A proposta ainda vai ter de passar por mais uma votação no Plenário da Câmara e em dois turnos no Senado. Se os senadores alterarem o texto, volta para análise dos deputados. Só depois disso segue a sanção da presidente Dilma Rousseff. Ainda vai ser necessário um bom tempo para a medida começar a valer, caso seja aprovada nas duas casas e sancionada pela presidente.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)