Cassilândia, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

04/08/2007 09:12

Divulgação de casamento pode deixar de ser obrigatória

Redação 24HorasNews

Tramita na Câmara o Projeto de Lei 420/07, do deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), que extingue a necessidade de afixação de edital de proclamas e sua publicação para habilitar os noivos para o casamento. A proposta altera dispositivos do Novo Código Civil (Lei 10.406/02) e da Lei 6.015/73 relativos à habilitação para o casamento.

Segundo o autor da proposta, os proclamas se originam do rito católico de casamento, no qual era exigido que, em três domingos consecutivos ou dias festivos de guarda, fosse anunciada nas igrejas, durante a missa ou durante ofícios divinos, a intenção dos noivos de se casar. "Esse costume foi incorporado à lei e até hoje sobrevive, mas sem qualquer efeito benéfico aos nubentes ou à instituição do casamento", argumenta o parlamentar.

Ele lembra que, atualmente, para se casar, é preciso apresentar os seguintes documentos:
- certidão de idade ou prova equivalente;
- declaração do estado, do domicilio e da residência atual dos nubentes e de seus pais;
- autorização das pessoas sob cuja dependência legal estiverem, ou ato judicial que a supra;
- declaração de duas testemunhas maiores, parentes ou estranhos, que atestem conhecê-los e afirmem não existir impedimento que os iniba de casar;
- certidão de óbito do cônjuge falecido ou da anulação do casamento anterior.

Seqüestro relâmpago
Para o parlamentar, essas exigências, associadas à atuação do Ministério Público e do Judiciário, são suficientes para dar segurança jurídica à instituição do casamento. O deputado acrescenta que a publicação dos proclamas pela imprensa local, assim como a afixação do edital em local público, representa ônus financeiro para os nubentes e acesso facilitado de seus dados pessoais por pessoas de má índole, pois nos proclamas há informação do nome, filiação, data, cidade e estado de nascimento, local de residência, RG e CPF dos nubentes.

Ele argumenta que a obrigação de publicação dos proclamas representa a divulgação irrestrita de dados pessoais. "A lei facilita e dá oportunidade para que pessoas mal intencionadas efetuem falsificações ou até mesmo, desenvolvam golpes como o 'seqüestro relâmpago falso', utilizando-se dos dados dos nubentes."

O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado pelas comissões de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 06 de Dezembro de 2016
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
21:32
Loteria
13:15
Cassilândia
09:00
Maternidade
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)