Cassilândia, Domingo, 27 de Maio de 2018

Últimas Notícias

29/06/2007 16:08

Dívidas: Governo quer critérios para renegociação

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Reinhold Stephanes, afirmou hoje (28/06) que até o dia 13 de julho o Grupo de Trabalho interministerial criado para propor medidas para solucionar o endividamento agrícola terá definido os critérios para enquadramento dos produtores na renegociação. "Nossa intenção é não prejudicar a contratação de novos financiamentos para a próxima safra", disse Stephanes durante coletiva à imprensa, após o lançamento do Plano Agrícola e Pecuário 2007/2008 no Palácio do Planalto.

O governo aprovou a adoção de efeito suspensivo, até o dia 31 de agosto de 2007, das parcelas das dívidas de investimento vencidas e não pagas ou a vencer até 30 de agosto de 2007, para produtores adimplentes até 31 de dezembro de 2006. A estimativa é de que o endividamento seja da ordem de R$ 100 milhões a R$ 130 milhões (sem considerar os acréscimos). As parcelas de custeio das safras 2004/2005 e 2005/2006, já prorrogadas e com vencimento em 2007, também foram prorrogadas para 12 meses após o vencimento do contrato.

Segundo Stephanes, os critérios serão diferentes por região e por produto. "O custo de escoamento da produção do Centro-Oeste é muito maior do que em outras regiões do país, por essa razão vamos estabelecer critérios distintos de renegociação das dívidas". A expectativa do ministro é de que em quatro ou cinco anos seja criada uma política anticíclica para solucionar o problema do endividamento.

Ao comentar sobre a criação do Fundo de Catástrofe, Stephanes lembrou que no momento em que as seguradoras iriam entrar no mercado do seguro rural houve duas frustrações de safras (2004/2005 e 2005/2006). "Naquela ocasião, as seguradoras se retraíram. Agora vai ser criado um novo mercado, mais tranqüilo e com recursos financeiros garantidos".

Sobre a intensificação do apoio ao médio produtor, o ministro reafirmou a importância da queda nos juros do Programa de Geração de Emprego e Renda Rural (Proger Rural), de 8% para 6,25%, e da ampliação dos recursos de R$ 700 milhões para R$ 2.2 bilhões. "No setor cooperativista, entre 70% a 80% dos produtores são de médio porte, o que significa uma fatia importante do agronegócio".

Stephanes explicou que haverá "sobras" de recursos do crédito rural programado para a safra 2006/2007, que foi de R$ 50 bilhões. A estimativa é de que, deste total, sejam aplicados R$ 45 bilhões. As sobras devem-se à inadimplência e à ausência de garantias dos produtores aos bancos. "Mas na medida em que a questão do endividamento seja resolvida, os bancos vão liberando as garantias".

Questionado sobre a logística para o escoamento da safra, o ministro disse que o governo já decidiu que não vai resolver o problema de infra-estrutura com política agrícola. "Vamos chamar a recém-criada Secretaria Nacional de Portos, a Agência Nacional de Transportes, os ministérios dos Transportes, da Fazenda e a Casa Civil para elaborar um projeto decisivo", garantiu.

Stephanes afirmou que vários estudos de logística e infra-estrutura estão finalizados. "O que não existe, ainda, é um projeto pronto para executar. Temos estudos que apontam o que é preciso fazer no Centro-Oeste, como o asfaltamento das BRs 158 e 163, por exemplo". Os recursos para execução desse projeto, segundo o ministro, estão previstos no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC). (Agnes Melo).

Midiamax

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 27 de Maio de 2018
Sábado, 26 de Maio de 2018
14:57
Cassilândia
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)