Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

14/04/2005 15:39

Discussão sobre troca de extintor será ampliada

Agência Câmara

Os integrantes da Comissão de Defesa do Consumidor conferiram nesta manhã os extintores de incêndio utilizados nos automóveis brasileiros, mas ainda não estão decididos sobre a substituição proposta pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran).
Depois de acompanhar testes realizados pelo Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, o presidente da Comissão, deputado Luiz Antônio Fleury (PTB-SP), anunciou que o assunto será mais amplamente discutido. Os parlamentares esperam agora um laudo detalhado dos testes para debater a substituição imposta pelo Contran em audiência pública na próxima terça-feira (19).

Diferenças
A Resolução 157 do Contran estabelece prazo até o fim de 2009 para que os motoristas substituam os extintores do tipo "BC" - utilizados em carros fabricados antes de 2005 - pelos do tipo "ABC". Os testes realizados demonstraram que o modelo sugerido pelo Contran é mais rápido que o modelo antigo. Em um dos experimentos, o extintor "BC" apagou o fogo ateado em um banco de automóvel, mas o conteúdo do tubo foi totalmente consumido. Já o ABC precisou de apenas um jato para apagar chamas semelhantes.
De acordo com o presidente do Contran, Ailton Pires, o extintor "ABC" é mais eficiente. "Com o novo extintor, nós temos condições de apagar todas as origens de incêndio, seja papel, tecido, madeira, plástico, combustível ou ainda na parte elétrica", explicou.
A diferença entre os dois modelos é que o "ABC", feito de fosfato monoamônico (um tipo de fertilizante agrícola), também apaga os incêndios do tipo "A", de materiais sólidos, tais como revestimentos, estofamentos, pneus e painéis. O extintor "BC", feito de bicarbonato de sódio, apaga os princípios de incêndio a partir de líquidos inflamáveis (tipo "B"), como combustíveis, e os formados a partir de corrente elétrica (tipo "C").

Troca facultativa
Na opinião de Fleury, se os dois tipos de extintores funcionam, a troca não deveria ser obrigatória, mas facultativa. Ele lembrou que o custo dos novos extintores chega a ser quatro vezes maior que o do atual. Um extintor do novo padrão custa hoje cerca de R$ 60 e tem validade de cinco anos. O extintor "BC", por sua vez, custa em torno de R$ 30 e vale por três anos. Um e outro só podem ser utilizados se tiverem o selo do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro).

Reportagem - Geórgia Moraes e Carolina Nogueira
Edição - Noéli Nobre

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)