Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

15/04/2016 17:30

Diretor diz que BC tem compromisso de manter Selic em 14,25% ao ano

Agência Brasil

 

O Banco Central (BC) tem o compromisso de manter a taxa básica de juros, a Selic, em 14,25% ao ano até que a probabilidade de atingir os parâmetros do Conselho Monetário Nacional (CMN) para a inflação, em 2016 e 2017, seja alta. A afirmação foi feita pelo diretor de Assuntos Internacionais do banco, Tony Volpon, em seminário nos Estados Unidos, organizado pelo JP Morgan.

Para este ano, o centro da meta de inflação é 4,5% e o limite superior, 6,5%. Em 2017, o teto da meta será de 6%. O mercado financeiro espera que a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), fique em 7,14% este ano, e em 5,95% em 2017.

A Selic é o principal instrumento do BC para o controle da inflação. Ao reajustá-la para cima, a instituição contém o excesso de demanda que pressiona os preços, porque juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Quando reduz os juros básicos, o Comitê de Política Monetária do banco (Copom) barateia o crédito e incentiva a produção e o consumo, mas reduz o controle sobre a inflação.

Apesar das afirmações da diretoria do BC de que o Copom não pretende reduzir os juros, em um cenário de retração da economia, as instituições financeiras esperam que a Selic caia. A expectativa para a taxa ao final de 2016 é de13,75% ao ano. Para o fim de 2017, a previsão dos bancos é que a Selic seja de 12,25% ao ano.

Segundo a apresentação publicada no site do BC, Volpon enfatizou que a inflação este ano vai cair. O diretor acrescentou que em 2016, diferentemente do ano passado, haverá um impacto menor do ajuste de preços relativos (externos em relação aos internos e administrados em relação aos livres”.

Ajuste fiscal

Na apresentação, o diretor do BC disse que houve progresso no ajuste fiscal, mas que é preciso muito mais. Volpon destacou que há espaço para fazer ajuste fiscal devido ao sucesso do ajuste das contas externas, aos níveis controlados de inflação e à baixa dependência de investidores externos como credores de dívida. Entretanto, o diretor alertou que, sem uma consolidação fiscal convincente, o risco de crise financeira cresce com o tempo.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)