Cassilândia, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

27/09/2005 17:00

Dirceu só admite erro na escolha das alianças políticas

João Prestes / Campo Grande News

O deputado federal José Dirceu (PT-SP) argumenta, aos membros do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara em depoimento, que não existe nenhuma prova concreta contra ele e reclama de estar sendo vítima de “linchamento público”. “Não existem provas contra mim, nem testemunhais, nem documentais. Se eu errei no partido, os meus erros foram políticos na escolha de alianças e na elaboração de programa de governo", afirmou.

O deputado foi chamado a depor no processo que analisa o pedido de cassação de seu mandato, feito pelo PTB, sob a acusação de que comandava um esquema de compra de votos de parlamentares no Congresso Nacional para que apoiassem projetos do governo federal.

José Dirceu fez sua explanação e concluiu que nunca existiu o chamado “mensalão”. " Não é verdade que eu coordenei, participei ou me omiti do chamado mensalão. Todas os envolvidos negam e não há nenhuma prova documental. Sou acusado de saber dos empréstimos, mas o senhor Delúbio Soares nega."

O que está provado, admite Dirceu, é que alguns parlamentares teriam recebido recursos irregulares do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza. O deputado afirmou ainda que não foi citado na lista de beneficiados pelo repasse. "O que está provado é que deputados receberam recursos do Banco Rural, a partir de empréstimos do senhor Marcos Valério e do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares. Eu não, eu não recebi", declarou.

Sobre o suposto acordo entre PT e PL para fechar a aliança política em 2002 em troca do repasse de R$ 10 milhões, Dirceu negou ter conhecimento, mas admite que acordos dessa natureza são rotineiros. Ele não teria participado de reuniões para o repasse de recursos mas somente para definir a verticalização da aliança, já que o PL não tinha tradição de fazer coligações políticas nos Estados. "Eu sabia do acordo de ajuda mútua das campanhas. O que eu considero natural, acontece em quase todas as campanhas majoritárias no país", disse ele.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)