Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

31/10/2011 11:53

Diferença de preços de medicamentos atinge quase 1.000% em São Paulo, alerta Procon

Marli Moreira, Agência Brasil

São Paulo - O consumidor precisa ficar atento na hora de comprar remédios, e, antes de ir a uma farmácia, deve fazer uma pesquisa de preços, alerta a Fundação Procon de São Paulo. O órgão detectou diferenças de preços que chegam a 951,69%, em cinco regiões da cidade de São Paulo.

A pesquisa foi feita no período de 28 a 30 de setembro e engloba 52 medicamentos vendidos em 15 estabelecimentos. O diclofenaco sódico (caixa com 20 comprimidos de 50 miligramas), por exemplo, era vendido por R$ 9,36 em uma drogaria. Em outro ponto de venda, custava R$ 0,89, uma diferença de R$ 8,47.

No caso do Propranolol Ayerst (cloridrato de propranolol), a maior diferença de preço encontrada é 520,83%. O valor máximo da caixa com 30 comprimidos de 40 miligramas atingiu R$ 7,45, e o mínimo, R$ 1,20, uma diferença de R$ 6,25.

A pesquisa constatou que os genéricos estavam 58,47% mais baratos do que os medicamentos de referência. Os técnicos alertam, no entanto, que mesmo entre os genéricos pode haver diferenças de preços. Por isso, recomendam que o consumidor consulte a lista de preços máximos dos medicamentos, disponível no site da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). As drogarias e farmácias também são obrigadas a deixar ao alcance dos clientes uma lista de preços, como determina a Resolução nº 4 da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed), do dia 9 de março de 2011.

A Fundação Procon também orienta o consumidor a evitar comprar medicamentos sem bula e sem embalagem (caixa) e a verificar o prazo de validade antes de adquirir um remédio. Também é importante conferir se o número do lote, o prazo de validade e a data de fabricação constantes na caixa do medicamento são iguais aos marcados nas cartelas ou frascos.

O Procon lembra que o medicamento deve ser guardado em local seco, arejado e fora do alcance de crianças. Os pais e responsáveis devem ter cuidado especial com remédios de formato ou aroma atrativo às crianças.

Edição: Juliana Andrade

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)