Cassilândia, Domingo, 20 de Agosto de 2017

Últimas Notícias

12/06/2006 14:24

Despesa estadual cresceu menos que arrecadação, diz IBGE

Graciliano Rocha / Campo Grande News


O governo de Mato Grosso do Sul acompanhou a tendência nacional e apresentou um resultado primário fiscal positivo (gastou menos do que arrecadou), confirmando uma trajetória de recuperação das contas estaduais, iniciada em 2000 quando entrou em vigor a LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal).

As informações estão na pesquisa “Finanças Públicas do Brasil”, com os resultados das administrações públicas para 2002 e 2003, divulgada hoje pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

De acordo com os números divulgados pelo IBGE, nestes dois anos, Mato Grosso do Sul foi superavitário. Em 2002, o governo do Estado conseguiu arrecadar R$ 2,602 bilhão – R$ 1 milhão a mais do que suas despesas (R$ 2,601 bilhão). No ano seguinte, o superávit chegou a R$ 28 milhões. Em 2003, MS arrecadou R$ 3,275 bilhão e gastou R$ 3,247 bilhão. Entre um ano e outro, a arrecadação cresceu 25,8% enquanto os gastos públicos se expandiram 24,8%.

O ICMS, principal fonte de recursos dos governos estaduais, teve um crescimento de 25,52% entre 2002 e 2003, segundo a pesquisa, saltando de R$ 1,34 bilhão em 2002 para R$ 1,68 bilhão no ano seguinte.

Por outro lado, os gastos com custeio tiveram um crescimento de 33,41% no mesmo período – ou quase R$ 430 milhões. Em 2002, o custeio do governo custou ao contribuinte R$ 1,29 bilhão, mas saltou no, ano seguinte, para R$ 1,72 bilhão.

Os salários do funcionalismo ajudaram neste resultado: entre um ano e outro, houve um crescimento de R$ 229 milhões nas despesas com pessoal, que se expandiram de R$ 820 milhões (2002) para R$ 1,04 milhão (2003). As despesas de capital fixo, como obras e construções, foram de R$ 199 milhões para R$ 304 milhões entre um ano e outro enquanto as transferências para poderes e municípios tiveram um acréscimo de R$ 180 milhões, batendo à casa dos R$ 954 milhões em 2003.

Já o pagamento dos juros e serviços da dívida públicas, conforme o IBGE, foi reduzido em MS: em 2002 saíram do caixa do Estado R$ 319 milhões para esta finalidade; em 2003 essas transferências ficaram em R$ 246 milhões.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 19 de Agosto de 2017
20:38
Para o fim de semana
10:00
Receita do dia
Sexta, 18 de Agosto de 2017
Quinta, 17 de Agosto de 2017
21:14
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)