Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

22/04/2004 15:07

Deputados acompanham investigação de massacre em RO

Agência Câmara

A comissão externa criada para apurar o massacre de garimpeiros na reserva indígena de Roosevelt está em Espigão d´Oeste, em Rondônia, onde define ações para hoje. Os deputados vão acompanhar as investigações que estão sendo feitas pela Polícia Federal.
De acordo com o coordenador da Bancada do Estado, Agnaldo Muniz (PPS-RO), também autor de requerimento para a criação da comissão, o Parlamento deve participar ativamente das negociações para legalizar a situação na reserva Roosevelt, que fica ao sul de Rondônia. Ele diz que a proposta da bancada é legalizar a extração do diamante na maior reserva aberta do País.
O parlamentar lembra que os confrontos entre garimpeiros e os índios cinta-larga ocorrem porque alguns índios apóiam o garimpo e recebem diamantes em troca, enquanto outros não aceitam e ameaçam os garimpeiros.

Solução rápida
Agnaldo Muniz avalia que é essencial buscar, de forma rápida, "uma solução definitiva para esse problema, que se agrava cada vez mais. Se o Governo Federal não tomar uma decisão sobre isso, certamente mais mortes acontecerão. Nós já tínhamos alertado ao Governo e ao próprio presidente da Funai, Mércio Pereira, que, na ocasião, não deu a devida atenção. Agora estamos vendo mais e mais mortes de garimpeiros. Quando o Governo decidiu agir, já era tarde", destacou o parlamentar.

Oficializar o garimpo
O coordenador da bancada ressaltou ainda que uma das saídas para acabar com o conflito é oficializar o garimpo, "que deve ser explorado por uma associação de garimpeiros ou por alguma empresa criada pelo Governo para que o Estado possa arrecadar dividendos e a União tenha o controle total do que é extraído".
Segundo o deputado, a compra do minério pode ser feita por um banco oficial, como a Caixa Econômica Federal ou o Banco do Brasil. “Acreditamos que essa seria uma saída para acabar, de vez, com o tráfico e o contrabando de diamantes. O que não podemos aceitar mais é que continue ocorrendo mortes", avaliou.

Integrantes
A Comissão Especial de Roosevelt é integrada pelos deputados Agnaldo Muniz (PPS-RO), Alberto Fraga (PMDB-DF), Amauri Robledo (Prona-SP), Eduardo Valverde (PT-RO), Luiz Carlos Heinze (PP-RS), Miguel de Souza (PL-RO), Nilton Capixaba (PTB-RO) e Perpétua Almeida (PCdoB-AC).
Os parlamentares terão 15 dias para apresentar um relatório. Segundo Agnaldo Muniz, esse prazo pode sofrer alteração. "Mas acreditamos que, em 30 dias, no máximo, teremos concluído o nosso trabalho".

Reportagem - Regina Céli Assumpção
Edição - Simone Ravazzolli


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 09 de Dezembro de 2017
09:09
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)