Cassilândia, Domingo, 10 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

10/07/2004 07:33

Deputado quer televisões desligadas dia 17 de outubro

Antônio Arrais/ABr

O deputado Paulo Lima (PMDB-SP) sugeriu ontem que em 17 de outubro, "Dia Nacional contra a Baixaria na Televisão Brasileira", todos os espectadores no país desliguem, durante uma hora, seus televisores em protesto contra a baixa qualidade de muitos programas de TV. Lima fez esse apelo no encerramento do programa de debates “Câmara Agora Especial”, da TV Câmara, promovido pela Comissão de Direitos Humanos. Participaram também dos debates o deputado Orlando Fantazzini (PT-SP), o diretor do Departamento de Justiça, Classificação, Títulos e Qualificação do Ministério da Justiça, José Eduardo Romão, e o diretor de assuntos institucionais da TV Bandeirantes, jornalista Washington Mello.

O programa discutiu temas como a qualidade da programação das emissoras de TV, a liberdade de expressão, a classificação de horário de programas e a campanha “Quem financia a baixaria é contra a cidadania”, promovida pela Comissão de Direitos Humanos. O debate concluiu pela proposta de Washington Mello, de que deve ser criado um colegiado envolvendo representantes da sociedade, entidades governamentais, emissoras de televisão e setores da Justiça e do Ministério Público para determinar, segundo o jornalista, “um código de ética de comum acordo, que não seja impositivo”. Ao fazer essa defesa, o jornalista disse que “numa decisão colegiada, erra-se menos do que numa decisão de uma entidade ou de um setor”. Ele sugeriu que esse colegiado poderia ser o Conselho Nacional de Comunicação, já em funcionamento junto ao Congresso Nacional.

O deputado Orlando Fantazzini criticou as produções televisivas que, segundo ele, “se escondem sob a classificação de programa jornalístico, mas que, na verdade, são programas apelativos, que exploram a miséria humana e a violência e não contribuem em nada para a formação do telespectador”. Fantazzini afirmou que “existe um autoritarismo das emissoras de televisão em decidirem por si, sem consultar ninguém o que devem mostrar ao público”. O deputado defendeu sanções contra as emissoras que cometerem excessos, questionando que em todos os setores da vida existem sanções, punições: “por que as emissoras de televisão também não podem ser punidas?”, perguntou Fantazzini, que defende penas claras contra a baixaria na TV.

O representante do Ministério da Justiça, José Eduardo Romão, garantiu que o governo atua “para evitar o que é ruim na televisão” e que o primeiro ato da sua área “é a classificação das faixas etárias, a fim de proteger a criança e o adolescente”. Romão apoiou a proposta de criação de um grupo para debater e encontrar propostas de controle de qualidade dos programas televisivos. Considerou importante a participação de todos “porque esta deve ser uma responsabilidade compartilhada”.

O deputado Paulo Lima, um dos mais críticos contra a qualidade da programação das emissoras de TV, defendeu que “os pais devem saber censurar os filhos quando o programa for de baixaria, de violência, porque a baixaria tem que ser condenada”. Ele criticou “os programas que se dizem jornalísticos, mas que, na verdade, querem humilhar e execrar as pessoas para conseguir índices de audiência.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 09 de Dezembro de 2017
09:09
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)