Cassilândia, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

22/02/2016 18:25

Deputado de MS tenta facilitar a vida de quem tem arma de fogo

Ricardo Campos Jr., Campo Grande News

O deputado federal Carlos Marum (PMDB-MS) propôs uma alteração no Estatuto do Desarmamento para derrubar a necessidade de renovar o registro das armas. O parlamentar acredita que esse procedimento é meramente burocrático, mesmo exigindo documentos e certidões que provem a idoneidade e a aptidão para usar revólveres, pistolas, etc.

De acordo com informações do site da Polícia Federal, a cada três anos é preciso apresentar antecedentes criminais a nível estadual e federal e até da Justiça Eleitoral; provar que não está respondendo a nenhum inquérito policial e entregar atestado de capacidade técnica e psicológica para manuseio de armas.

Conforme o deputado, há muitos casos em que cidadãos foram presos pela posse ilegal de arma de fogo porque a polícia encontrou nas residências deles armas compradas legalmente e registradas, mas que, devido ao trâmite moroso e ineficiente do sistema de renovação, estavam com registro vencido.

Ele entende que o registro diz respeito apenas à propriedade da arma. Desse modo, à semelhança do registro que se faz de um imóvel em cartórios, para indicar quem é o seu dono, e quem tem validade permanente, do mesmo modo não há razão jurídica e lógica para se renovar um documento que já indica a propriedade da arma.

Para Cerilo Casanta Calegaro Neto, conselheiro da OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso do Sul, a medida não deve prosperar. “

“O registro é burocrático até por uma questão de segurança, para que se possa conceder essa permissão a essa pessoa que estejam realmente capacitadas e habilitadas a portar uma arma de fogo”, pontua.

Na opinião dele, o projeto retira o poder de fiscalização dos órgãos públicos. “Vivemos em um estado extremamente legalista e o estado pode reger esses dispositivos. Caso isso não ocorra, eu vejo que o poder público, através dos órgãos de segurança, pode perder o controle das armas legalizadas”, diz Cerilo.

Ele está acompanhando a tramitação do projeto e diz que o documento será analisado por uma comissão especial da Câmara dos Deputados para depois ser apresentado em plenário.

Importante porém desnecessário caso seja aprovado o PL 3722 que desde 2012 estamos lutando para ser aprovado, o PL 3722 não revoga o estatuto do desarmamento como muitos dizem, mas o modifica bastante e uma das mudanças é justamente esse recadastramento para POSSE, no novo modelo fica obrigatório o recadastramento apenas para PORTE, a cada 5 anos.
 
André Luiz de Assis em 22/02/2016 20:13:22
Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)