Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

06/03/2007 14:24

Dengue já matou mais este ano que em 2006

O número de mortes por dengue neste ano em Mato Grosso do Sul ultrapassou o registrado durante os 12 meses de 2006, informou nesta segunda-feira a Secretaria Estadual de Saúde. Foram seis casos em 2007, o último caso registrado ontem à tarde em Jardim (MS). Em 2006, ocorreram cinco mortes.

Dados do Ministério da Saúde, atualizados até o dia 26 passado, ainda apontam seis mortes no país: duas em Mato Grosso do Sul, uma em Minas Gerais, outra no Rio de Janeiro, uma em Tocantins e outra em Goiás. Durante 2006, em todo o Brasil 64 pessoas morreram.

A secretaria informou que o relatório com seis mortes, quatro a mais em relação às registradas pelo ministério, estava sendo fechado ontem. Os dados sobre as novas mortes ainda serão repassados ao ministério.

Ainda conforme a secretaria, de 1º de janeiro até ontem, foram notificados 42.072 casos da doença no Estado contra 15.025 durante 2006.

Do total de casos notificados neste ano, 28.032 foram em Campo Grande. A cidade tem confirmados 11 casos de febre hemorrágica da dengue e outros 95 suspeitos, mas não registrou mortes.

As mortes ocorreram, segundo a secretaria, em Aquidauana, Laguna Caarapã, Dourados, Três Lagoas, Amambaí e Jardim. Duas aconteceram na semana passada, um ontem.
Apesar disso, o superintendente de Vigilância em Saúde de Mato Grosso do Sul, Eugênio Barros, afirma que a doença está recuando no Estado.

"Até sexta-feira [passada] de manhã tínhamos 41.759 casos. Fechamos hoje com 42 mil. Não chegam a 500 novas notificações em três dias. Antes, eram mais de mil casos novos diariamente", afirmou.

O superintendente atribui o recuo à redução das chuvas, ao combate aos focos do mosquito com a ajuda até do Exército e a maior colaboração de moradores evitando água parada nas casas.

A epidemia de dengue foi causada principalmente pela chegada ao Estado do vírus tipo 3 da doença. "A população tem menor imunidade a esse tipo", disse Barros. Isso ocorre, segundo ele, pois antes circulavam apenas os vírus tipos 1 e 2.



Fonte: Agora MS

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 09 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)