Cassilândia, Terça-feira, 27 de Junho de 2017

Últimas Notícias

18/06/2013 19:00

Delegados e procuradores ainda divergem sobre texto da PEC 37

Ivan Richard, Agência Brasil

Brasília - Na véspera do fim do prazo para entrega do parecer do grupo de trabalho, formado para discutir mudanças na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 37, delegados e procuradores ainda divergem sobre a proposta. A medida limita o poder de investigação do Ministério Público.

Há pouco mais de dez dias, o presidente da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), orientou o grupo de trabalho a entregar um parecer de consenso amanhã (19) para que a PEC seja votada no dia 26. No entanto, em debate na Câmara, proposto pela bancada do Democratas, representantes das forças policiais e do Ministério Público se posicionaram em lados opostos e não demonstraram possibilidade de acordo.

Para o procurador-geral de Justiça do Estado de São Paulo, Márcio Fernando Elias Rosa, a PEC é uma retaliação ao trabalho que o Ministério Público vem desenvolvendo. “O Ministério Público realiza investigações criminais desde sempre. É fato que o Ministério Público está atuando mais e cada vez melhor e vem encontrando resultado em suas operações e acredito que a PEC se deve muito às virtudes do Ministério Público.”

Segundo ele, o país tem outras prioridades em vez de discutir a limitação do MP. “A PEC mexe no capítulo da segurança pública e não é a prioridade a alteração do poder investigatório. Deveríamos estar discutindo uma melhor forma de aplicação da lei penal”, argumentou Elias Rosa.

Já o presidente da Associação de Delegados da Polícia Federal (ADPF), Marcos Leôncio Ribeiro, defendeu a aprovação da proposta como forma de organizar as atribuições todos os atores responsáveis pelas investigações. Segundo ele, a PEC 37 não vai limitar os poderes do MP. “O que queremos é um sistema equilibrado, com regras, com a repartição clara de tarefas, com o que compete para cada um, para evitar disputas, conflitos e fazer o que a sociedade quer”, disse Ribeiro.

“A proposta não tem a finalidade de excluir poder de A ou B. O Ministério Público vai continuar podendo investigar, mas fará [isso] de forma colaborativa, em conjunto com as polícias. O que não concordamos é com o Ministério Público fazendo investigações sozinho, de forma paralela e concorrente”, acrescentou o presidente da enidade.

A PEC 37 foi apresentada em junho de 2011 pelo deputado federal e delegado de polícia Lourival Mendes (PTdoB-MA). O texto altera trecho da Constituição, indicando que a apuração das infrações penais é função privativa das polícias Civil e Federal. A medida impedirá o Ministério Público de assumir a investigação de crimes, prática usual desde que a instituição teve os poderes ampliados na Constituição de 1988.

Edição: Talita Cavalcante

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 27 de Junho de 2017
Segunda, 26 de Junho de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)