Cassilândia, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

27/11/2007 07:33

Delegado diz que jovem não tinha documento e mentiu

Mariana Jungmann /ABr

Brasília - O superintendente da Polícia Civil no Baixo-Tocantins, Fernando Cunha, e o delegado Celso Iran foram ouvidos ontem (26) sobre a prisão da adolescente que ficou encarcerada com 20 homens no município de Abaetetuba, no interior do Pará.

Segundo a delegada Liane Martins, responsável pelo inquérito administrativo que vai apurar a responsabilidade dos policiais, Celso Iran alegou que a jovem foi presa como maior de idade porque ela mesma forneceu essa informação à polícia. A delegada não soube informar por que a adolescente mentiria sobre a idade.


“Isso é difícil a gente saber. E vai ser mais difícil ainda, porque já que ela foi colocada nesse Programa de [Proteção à] Testemunha, nós dificilmente vamos ouvi-la novamente. Então isso dificulta as investigações, mas não podemos fazer nada, temos que apurar com os dados que a gente tem”, alegou Liana.

Celso Iran prendeu a adolescente em setembro deste ano e alegou, no depoimento, que a moça não possuía nenhum documento de identidade, por isso foi encaminhada para coleta de digitais. Iran afirmou ainda que o Instituto de Identificação da Polícia Civil em Belém não enviou nenhuma resposta sobre o exame das digitais.


Segundo Liana Martins, durante o depoimento o delegado Fernando Cunha alegou que informou à Justiça sobre a prisão da jovem e manteve o flagrante porque também não sabia que ela era menor de idade, já que ela havia sido presa outras vezes como maior.


“O fato é que já havia processo na Justiça contra ela, ela tinha sido ouvida por juízes e promotores e ninguém suscitou que ela era menor de idade”.


A delegada informou ainda que as corregedorias de justiça, do Ministério Público e do sistema penal, vão investigar as responsabilidades de juízes, promotores e da Superintendência do Sistema Penal nesta e nas outras prisões da adolescente.

“Ela já tinha dois processos na Justiça, já tinha participado de audiências, o Ministério Público já tinha visitado a carceragem e visto que tinha uma mulher junto com os homens. Ela diz que avisou para o promotor que era menor de idade, mas ainda vai ser investigado porque o promotor não desconfiou que ela era menor”, informou a delegada.



Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)