Cassilândia, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

10/07/2009 15:56

Delcídio classifica como "muito ruim” projeto da pesca

Fernanda França, Campo Grande News

O senador Delcídio do Amaral (PT-MS) classificou hoje como “muito ruim” o projeto de Lei sobre a pesca, que tramita na Assembléia Legislativa.

“Estudei, detidamente, projeto que tramita na Assembléia Legislativa de Mato Grosso do Sul sobre pesca. É ruim... e bota ruim nisso!”, afirmou o senador em seu Twitter.

A proposta, apresentada pelo Executivo, chegou à Casa dia 30 de junho e já recebeu dezenas de emendas parlamentares. Os deputados Marquinhos Trad (PMDB) e Paulo Duarte (PT) são alguns dos que mais criticam as mudanças sugeridas pelo governo.

Outros deputados, como Ary Rigo (PDT) e Paulo Corrêa (PR), também se manifestaram contra a proposta, que libera a utilização de alguns petrechos considerados agressivos ao meio ambiente, como anzol de galho, tarrafas, bóias e redes.

Presidente da Comissão de Meio Ambiente, Corrêa considerou um retrocesso a reintrodução do chamado “João bobo” e do anzol de galho.

"Não vamos retroceder", declarou, ressaltando que não foi convidado a participar de nenhuma audiência pública para debater a proposta.

Líder do PR na Assembléia, o deputado Antônio Carlos Arroyo afirma que as discussões não podem acontecer “no afogadilho”.

O prefeito de Corumbá, Ruiter Cunha de Oliveira (PT), também já se posicionou contra o projeto.

Ele está, inclusive, encabeçando um movimento de criação de uma legislação especial para a pesca nos rios que passam por municípios do Pantanal.

A proposta também libera a pesca para barcos estrangeiros, item que também é motivo de protesto para o prefeito de Corumbá.

“Onde entram os interesses dos donos de barcos estrangeiros na economia doméstica?”, questiona.

Os líderes políticos são unânimes em dizer que o período da Piracema não está sendo suficiente para a reposição dos espécimes capturados, a procura por pescado aumenta a cada dia e o peixe tem ficado mais caro e escasso.

Já o deputado Júnior Mochi (PMDB) afirma que a proposta foi discutida exaustivamente durante audiências públicas realizadas em Campo Grande, Corumbá, Miranda, Aquidauana e Coxim. "O projeto não veio no afogadilho, foi construído em muitas mãos", defendeu.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)