Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

18/05/2009 10:25

Delcídio apresenta projeto de repatriação de recursos

Cadú Bortolotto

O senador Delcídio do Amaral (PT/MS) viajou na madrugada desta segunda-feira, 18 de maio, para São Paulo, onde, às 13h, discute com empresários e técnicos do setor financeiro o projeto-de-lei em tramitação no Congresso Nacional que estimula a repatriação dos recursos que deixaram o país durante as crises econômicas das últimas três décadas. O debate acontece na sede da Associação Nacional dos Bancos de Investimento-ANBID.
A proposta, de autoria de Delcídio, prevê a concessão de incentivos fiscais para regularização de ativos não declarados no exterior e também para a atualização do valor de bens declarados no passado. O projeto possibilita, ainda, a abertura no Brasil de conta corrente em dólar.
“Tenho debatido o projeto em vários estados do país. Na semana passada discuti a proposta com empresários campo-grandenses. Hoje volto a São Paulo e na quinta-feira estarei em Dourados para apresentar o projeto com lideranças da Grande Dourados”, explicou o senador. Um dos objetivos da proposta é remover obstáculos que, ao longo das últimas décadas, emergiram dos planos de estabilização monetária fracassados, que quebraram regras contratuais, desrespeitaram direitos adquiridos e acarretaram incertezas jurídicas para os agentes econômicos. Segundo Delcídio, o longo período inflacionário vivido pelo país também induziu poupadores e investidores a buscar proteção contra a perda de valor da moeda nacional por meio de remessas ao exterior.
O senador trabalhou no projeto por mais de um ano e incorporou ao texto sugestões do presidente da Confederação Nacional das Instituições Financeiras (CNF), Gabriel Ferreira. Ele tratou do assunto com os ministros do Planejamento, Paulo Bernardo, e da Fazenda, Guido Mantega. Estudos do governo apontam que o projeto de Delcídio pode reintroduzir na economia brasileira de US$ 65 a US$ 70 bilhões.
A proposta prevê que os brasileiros que tiverem bens ou direitos no exterior e quiserem repatriá-los poderão fazê-lo pagando apenas 8% de imposto de Renda (IR). Se optarem por aplicar os recursos em cotas de fundos de investimento dedicados ao financiamento de projetos de infra-estrutura, a alíquota cairá para 4%. No caso das pessoas jurídicas que possuírem bens no exterior, mas cuja existência nunca foi declarada à Receita Federal, a proposta prevê o pagamento de 10% de IR e de 8% de Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)