Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

17/09/2004 08:25

Dekasseguis: 274 mil brasileiros vivem no Japão

Liésio Pereira/ABr

Os descendentes dos imigrantes japoneses começaram a fazer o caminho de volta a partir dos anos 80, em busca de melhores oportunidades. São os chamados “dekasseguis”, palavra que significa pessoa que sai de seu local de origem para trabalhar temporariamente em outro lugar e ganhar dinheiro. No final do ano passado, mais de 274 mil dekasseguis brasileiros residiam no Japão, um crescimento de 2,4% em relação ao ano anterior e um número bem maior que os 1,9 mil que vivam no país em 1985.

As maiores comunidades de brasileiros no Japão estão nas províncias de Aichi (57,3 mil), Shizuoka (41,4 mil) e Nagano (17,8 mil). Entre os estrangeiros que vivem com vistos permanentes no país, os brasileiros representam 57,3%, segundo dados do Ministério da Justiça do Japão.

Os brasileiros estão atrás apenas dos chineses e coreanos entre os estrangeiros que vivem no Japão. A maioria trabalha em linhas de montagem das fábricas, executando o serviço que os japoneses se recusam a fazer. “É um trabalho que eles chamam de três ‘K’: Kiken (perigoso), Kitani (sujo) e Kitsui (pesado)”, explicou a jornalista Keiko Bailone, que morou no Japão de 93 a 95.

O trabalhador de uma fábrica no Japão ganha, em média, US$ 2,5 mil mensais por dez horas diárias. As horas extras podem elevar esse valor até a US$ 4 mil por mês. Os dekasseguis mandam cerca de US$ 2 bilhões por ano para o Brasil. Estudo da Fundação Getúlio Vargas constatou que os dekasseguis economizam de US$ 1 mil a US$ 1,5 mil por mês em média.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)