Cassilândia, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

07/07/2005 14:36

Definida data sobre o referendo de armas

Christiane Peres / ABr

A população deve decidir no dia 23 de outubro sobre a comercialização de armas de fogo e munição no país. Hoje, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), promulgou o projeto de decreto legislativo que autoriza a realização do referendo sobre a proibição do comércio de armas. Agora, só falta a publicação no Diário Oficial.

A consulta popular será feita por meio de voto em urnas eletrônicas em todo o país e a população terá que responder à pergunta: "O comércio de armas de fogo e munição deve ser proibido no Brasil?". Para o ministro Nilmário Miranda, da Secretaria Especial de Direitos Humanos, com a realização do referendo, a população vai decidir em que país quer viver. "Vamos decidir isso. Se é um Brasil com tolerância, respeito às diferenças, que combate a violência contra as mulheres, crianças, pessoas com transtornos. O referendo vem propiciar este debate", afirmou após a cerimônia.

Nos 45 dias anteriores à realização do referendo está prevista uma campanha de esclarecimento à população pelo rádio e pela TV. A duração diária e o formato da campanha ainda não foram definidos, mas as duas frentes da sociedade civil – uma pela proibição da comercialização de armas e a outra contrária à proibição – terão tempos iguais para defender suas posições. "Temos certeza de que a população vai dizer não ao comércio de armas. A população quer segurança, busca a paz e a paz é incompatível com a arma", disse Valéria Velasco, do Comitê Nacional de Vítimas de Violência (Convive).

Segundo dados da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), 104 pessoas são assassinadas todos os dias no Brasil por armas de fogo. Entre 1979 e 2003, 550 mil pessoas foram vítimas de armas de fogo no país. Dessas, 206 mil tinham de 15 a 24 anos de idade. "As armas estão na raiz da criminalidade e quem mais sofre com isso são os jovens", disse Renan Calheiros.

Para o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, a realização do referendo trata de uma das causas da criminalidade no país. "O Estatuto do Desarmamento tira as armas daquelas pessoas que vão matar por casualidade. Como o homicídio passional, o homicídio no campo de futebol, da briga de trânsito, e entre marido e mulher", disse. "Mas o combate à criminalidade não é só isso. O combate à criminalidade impõe um trabalho da Polícia Federal, uma agilidade maior do Poder Judiciário, medidas que já estão sendo tomadas", acrescentou.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
21:32
Loteria
13:15
Cassilândia
09:00
Maternidade
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)