Cassilândia, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

10/11/2009 16:17

Defesa de Beira-Mar tenta mostrar que denúncia é fofoca

Aline Queiroz e Nadyenka Castro, Campo Grande News

A defesa do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, desqualifica as provas apresentadas durante o julgamento hoje na 1ª Vara do Tribunal do Júri, onde Beira-Mar é julgado pelo assassinato de João Morel, crime ocorrido em 21 de janeiro de 2001, no Estabelecimento Penal de Segurança Máxima de Campo Grande.

“Duvido que alguém aqui não tenha sido vítima de fofoca. Quem aqui não foi vítima de ouviu dizer”, questiona o criminalista carioca Wellington Corrêa da Costa Júnior.

Os advogados de Beira-Mar destacam que não existem provas contra ele.

Segundo Costa Júnior, o traficante foi denunciado somente no terceiro aditamento do processo, depois que o juiz apontou o envolvimento de outras pessoas na morte.

O advogado cobra que os jurados se atenham às provas dos autos, que não consta dinheiro apreendido para apontar o envolvimento de Beira-Mar no crime, na versão da defesa.

O criminalista também destaca que não existem ligações telefônicas de Beira-Mar com os outros acusados do crime.

“O Luiz Fernando da Costa está aqui por ouviu dizer”, ressalta o advogado.

Beira-Mar é apontado como mandante do crime. Já Odair Moreira da Silva, o “Marreta”, julgado e condenado pelo homicídio, é o autor dos golpes que resultaram na morte de Morel.

O advogado pontua ainda não se trata de um crime premeditado. Segundo Costa Júnior, depois da morte, Marreta ligou para o tio e disse que havia cometido o crime, em palavras que demonstravam arrependimento.

O tio dele chegou a dizer que não tinha dinheiro para pagar um criminalista para Marreta. No entanto, na sequência, três advogados surgiram para atuar na defesa.

Costa Júnior afirma ainda que a acusação aponta que o sexagenário João Morel não reagiu ao ataque, entretanto, laudo pericial derruba a argumentação, segundo o advogado.

O MPE (Ministério Público Estadual) apresentou durante o julgamento uma matéria veiculada na televisão no qual Beira-Mar é acusado de matar o amante da ex-namorada.

O outro advogado do traficante, Luiz Gustavo Bataglin Maciel, ressalta que Beira-Mar nem foi investigado por este crime. “Excessos são comuns quando se fala do Luiz Fernando. É um bode espiatório”, diz o advogado.

Ele pontua ainda que João Morel tinha inimigos.

O advogado também afirma que, das duas testemunhas citadas pelo MPE, uma, Ivanézio de Souza, tem depoimentos contraditórios.

A briga pela liderança do tráfico, na região, que faz fronteira com o Paraguai, teria sido o motivo do crime, cometido supostamente a mando de Beira-Mar.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
Quinta, 01 de Dezembro de 2016
11:00
Mundo Fitness
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)