Cassilândia, Segunda-feira, 20 de Novembro de 2017

Últimas Notícias

16/04/2010 19:26

Decisão do STJ pode reduzir em 99% pedidos de correção da poupança pelos planos Bresser e Verão

Agencia Brasil

Brasília - A Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) estima redução de 99% no número de ações civis coletivas que reivindicam a correção da poupança por índices inflacionários expurgados pelos planos Bresser e Verão.

A redução das ações deve ocorrer em consequência da decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de estabelecer que o prazo para ajuizar uma ação é de cinco anos e não de 20 anos. Segundo o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), todas as ações civis públicas que não foram ajuizadas até 1994 serão extintas.



Segundo a Febraban, com isso o número de ações civis públicas cai de 1.030 para cerca de 15. De acordo com o STJ, a matéria foi julgada na última quarta-feira (14) em recurso do Ministério Público de Santa Catarina contra o Banco do Brasil.

A ação civil pública foi ajuizada pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Cidadão, em 2003, pedindo o pagamento de diferenças em função de não terem sido aplicados os percentuais previstos pelos planos econômicos nos anos de 1987 e 1989.



Os ministros da Segunda Seção do STJ, por unanimidade, entenderam que se deve aplicar ao caso a prescrição de 5 anos prevista na Lei da Ação Popular. O Ministério Público pedia a aplicação do Artigo 177 do antigo Código Civil, que prevê prescrição de 20 anos.

A decisão só é válida para ações coletivas, uma vez que as individuais não têm os mesmos prazos de ajuizamento. As entidades ainda podem recorrer da decisão do STJ.

Para o Idec, a decisão “vai na contramão do entendimento dominante no STJ, tanto referente a planos econômicos, quanto a outros assuntos”. Segundo o Idec, “em manifestações anteriores, o tribunal já demonstrou ter consolidado o reconhecimento do prazo prescricional de 20 anos para o ajuizamento desse tipo de ação, com base no Código Civil”.

O Idec considera que o “prazo para ajuizar uma ação decorre do direito que vai ser pleiteado judicialmente e não do procedimento judicial adotado”.



Edição: Tereza Barbosa

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 20 de Novembro de 2017
Domingo, 19 de Novembro de 2017
11:00
Mundo Fitness
Sábado, 18 de Novembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sexta, 17 de Novembro de 2017
19:49
Cassilândia
10:28
Cassilândia
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)