Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

19/09/2013 13:29

Decisão do Fed surpreende mercado financeiro, diz economista

Daniel Lima e Kelly Oliveira, Agência Brasil

Brasília – A decisão do Federal Reserve (Fed), Banco Central americano, de manter o programa de estímulos à economia norte-americana surpreendeu o mercado financeiro. Ontem, o Fed decidiu manter o programa de compra de ativos que irriga o mercado norte-americano com US$ 85 bilhões, em média, por mês.

Segundo o economista da Tendências Consultoria, Silvio Campos Neto, havia “consenso construído nos últimos meses” que esses estímulos começariam a ser reduzidos neste mês. “A reação do mercado mostra que não era o cenário esperado. O Fed se mostrou mais cauteloso do que se imaginava”, disse.

Para Campos Neto, o Fed manteve a “visão de dependência de indicadores”, o que pode gerar volatilidade (fortes oscilações) e especulações de agentes do mercado sempre que houver novas divulgações de dados econômicos. Ele destacou que a decisão de manter os estímulos foi influenciada pela piora em indicadores do mercado imobiliário e de emprego nos Estados Unidos.

No Brasil, segundo o economista, a decisão do Fed ajudou a tirar a pressão sobre o real. Ele acrescentou que em junho, julho e em parte de agosto houve exagero no mercado de câmbio, com o dólar atingindo picos de R$ 2,40. Atualmente, no entanto, já havia redução na pressão por alta da moeda.

Campos Neto disse que no momento não é possível fazer previsão sobre como ficará a cotação do dólar. Isso porque “os fundamentos da economia brasileira estão piores, com déficit externo muito elevado e piora em indicadores fiscais”. Além disso, ele acredita que em algum momento no futuro o Fed vai anunciar a redução de estímulos. Ele também acrescentou que é preciso esperar para ver se o BC vai fazer alguma mudança nas intervenções diárias que vêm realizando no mercado de câmbio.

A professora do Instituto de Economia da Universidade de Campinas (Unicamp) Maryse Farhi também não arrisca qualquer previsão quanto ao patamar do dólar no país, mas disse que a tendência é queda na cotação da moeda, depois do anúncio do Fed.

“Taxa de câmbio é uma coisa que não dá pra tentar prever. Para o Brasil, é sempre muito complexo o efeito da variação do câmbio. Uma apreciação do dólar é bom para as exportações e para a atividade industrial interna”, disse. Por outro lado, acrescentou a professora, dólar mais baixo ajuda a conter a inflação.

Ontem, a decisão do Fed levou a moeda norte-americana a fechar com queda de 2,89%, cotada a R$ 2,194 – o patamar mais baixo desde final de junho.

Edição: Denise Griesinger

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)