Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

08/12/2009 08:03

Da fruta ao cafezinho: como os alimentos chegam à mesa?

MAPA/ Kelly Beltrão

Frutas no café da manhã, churrasco no almoço e um cafezinho depois das refeições. Para que esses alimentos estejam na mesa dos consumidores e sejam considerados de qualidade é necessário passar pelo processo de certificação. Assim, todas as etapas de produção são rastreadas e monitoradas por fiscais federais agropecuários e médicos veterinários do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Para Jonas Celestino da Silva, proprietário da fazenda Pouso Alegre, a 40 quilômetros de Uberlândia/MG, fornecer alimentos saudáveis à população é primordial. Pensando nisso, aderiu ao Sistema Integrado de Aves e Suínos. “Nos associamos a uma empresa que fornece leitões, aves, ração, medicamentos, assistência veterinária e suporte técnico. Nós somos responsáveis pelas instalações, mão-de-obra, energia e água”, explica.

No sistema integrado, 95% dos custos são das empresas e 5% dos participantes, o que contribuiu para que Silva aumentasse seus rendimentos em 2%. “Considero o resultado satisfatório. Trabalhamos por meio do processo de conversão, em que não podemos desperdiçar ração e precisamos engordar o animal”, afirma.

Na fazenda, de 90 hectares, foram construídos seis galpões para frangos e quatro para suínos. As aves precisam de mais cuidados para sobreviver, pois são muito sensíveis. O aviário não pode ser aberto várias vezes por causa da luz, e deve ficar coberto com telas, para evitar a entrada de pássaros. Em cada unidade de produção dos frigoríficos em Uberlândia chegam a ser abatidos, por dia, 270 mil frangos, 5,2 mil suínos e 1,07 mil bovinos.

Aves - Até o 12° dia, as aves precisam de calor, para isso os galpões da fazenda Pouso Alegre são aquecidos por caldeiras a diesel, em temperatura de 30°C. Depois desse período, são resfriados por exaustores, até alcançar 20°C. As aves para o abate pesam entre 1,4 e 1,7 kg, com tempo médio de vida de 33 dias.

Durante o processo, práticas de bem-estar animal, com respeito ao meio ambiente e segurança alimentar, garantem à ave o direito de saciar a fome e a sede, de expressar o comportamento, de ter conforto e não sentir medo ou angústia. Todos os dados dos animais são registrados no boletim sanitário, guardado por até 36 meses. O documento servirá de base para a inspeção ante mortem (visual), realizada pelo médico veterinário do Sistema de Inspeção Federal (SIF), no estabelecimento de abate.

Suínos - Os suínos permanecem até o 28° dia com a mãe, depois seguem para a creche, onde ficam por mais 35 dias, até alcançar 25 kg. Entre 60 e 70 dias chegam à fazenda e são abatidos, em média, com 125 kg, completando o ciclo de 120 dias. Antes do embarque, ficam 12 horas sem comer. O produto final deve chegar ao cliente com, no máximo, -14°C.

De acordo com o fiscal federal agropecuário da Superintendência Federal de Agricultura em Minas Gerais (SFA/MG), Cosme Soares Coimbra, o Mapa realiza, a cada seis meses, testes de tuberculose, brucelose, doença de aujeszky, sarna e peste suína clássica nos animais. “Na primeira certificação, fazemos o teste em 100% dos reprodutores, depois coletamos amostras conforme a quantidade de suínos na granja. O objetivo é renovar a validade do documento”, informa.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)