Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

30/08/2005 06:11

Curso no TCE pode ajudar a implantar custos de hospítais

Luis Junot

O Curso de Atualização em Apuração dos Custos Hospitalares, que teve início nesta segunda-feira (29.08), e que vai até o dia 03 de setembro no Tribunal de Contas do Estado (TCE) pode contribuir para a criação de um sistema de controle dos custos dos hospitais em Mato Grosso do Sul. A afirmação é do diretor executivo da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), Salim Chaed.

De acordo com Chaed hoje, os hospitais recebem o teto do SUS (Sistema Único de Saúde), mas não tem controle total dos seus gastos. Segundo o diretor executivo da Sesau, na Santa Casa de Campo Grande, por exemplo, são 70 setores que demandam individualmente custos no seu atendimento. Contudo, não existe um controle eficaz quando um determinado paciente acaba por utilizar os serviços envolvendo vários destes setores, ou seja, fica difícil saber na realidade o custo desse ou daquele paciente, afirma.

Dentro da política de investimentos na qualificação dos seus técnicos e dos órgãos jurisdicionados, o presidente do TCE, José Ancelmo dos Santos através da Escoex (Escola Superior de Controle Externo do TCE), em parceria com a Sesau, SES (Secretaria de Estado de Saúde), Hospital Universitário (HU), Hospital Regional (HR) e Santa Casa de Campo Grande autorizou a realização do curso para capacitar os profissionais da saúde para implantar e operar um sistema de controle dos custos em hospitais.

Para o presidente do TCE, José Ancelmo dos Santos o sistema de saúde brasileiro necessita se adequar as constantes transformações que vem ocorrendo no mercado. Estas transformações são decorrentes da globalização e da competitividade. A tecnologia, a velocidade da informação, o conhecimento e a otimização dos processos das organizações na saúde pública, devem ser utilizadas como forma de gestão para melhorar o atendimento prestado a sociedade.

O curso é dividido em quatro módulos. O primeiro começou nessa segunda-feira (29.08), com 106 profissionais inscritos: (5 do HU; 7 do HR; 7 da Santa Casa; 16 da Sesau; 30 da SES; 4 do Ministério Público Estadual e 37 auditores do TCE), divididos em duas turmas (manhã e noite), totalizando 25 horas /aula.

De acordo com o auditor do Tribunal, Iran Coelho das Neves a fiscalização somente terá início após a capacitação dos técnicos, elaboração e implantação de um sistema inicialmente na Santa Casa, e depois nos outros hospitais. A idéia é, num segundo momento propor a implantação deste sistema em todo o Estado. Ele disse ainda que o TCE vai continuar adotando a filosofia do presidente da Corte, de uma fiscalização preventiva, orientando e qualificando os técnicos. “Esperamos controlar melhor a aplicação dos recursos públicos, mediante a um melhor planejamento e conseqüentemente, melhor qualidade no atendimento”, destacou.

Segundo o coordenador do curso, Dr. Germano Gonino Filho o programa deste curso tem como objetivo apresentar conteúdos que proporcionem aos participantes a possibilidade de analisar, discutir e fixar os conceitos, princípios e técnicas de apuração e custos na gestão hospitalar, visando controlar custos, planejar, tomar decisão e melhorar a qualidade dos serviços.

Participaram ainda da solenidade de abertura os representantes dos órgãos e instituições envolvidas – Ronaldo Vielmo Monteiro (SES); Robson Sanches (HU); José Roberto Paquera (HR); Olavo Monteiro Mascarenhas (PGJ) e Terto de Moraes Valente (MPE). As palestras com os docentes de Santa Catarina; Aldo Felipe da Mata e Katia Abbas continuam essa semana, no período matutino e noturno.

No conteúdo programático: introdução à contabilidade de custos; sistema de custeio; método dos centros de custos RKW; custeio baseado em atividades; estratégias para implantação do RKW em organizações hospitalares, já implantado no HU/UFSC.




Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)