Cassilândia, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

24/04/2015 14:21

Cunha diz que projeto de terceirização não prejudica os trabalhadores

Campo Grande News

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), voltou a defender o projeto sobre a terceirização que foi aprovado na Casa de Leis e segue ao Senado. Ele disse que a proposta não prejudica nenhum direito do trabalhador e ainda desafiou qualquer entidade ou grupo a apresentar argumento contrário.

“O projeto regulamenta a situação dos terceirizados, traz apenas benefícios a estes trabalhadores, quem diz que prejudica está mentindo, desafio a quem provar o contrário”, disse ele, durante a edição da “Câmara Interativa”, na sede da Fiems (Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul).

O deputado disse que foi bem recebido em Campo Grande e que a manifestação contra sua posição neste tema, não vai mudar em nada a linha do seu trabalho. “A maioria do parlamento e a sociedade se colocou a favor, não há nenhuma problema nos protestos, não vão ser 50 pessoas pagas pela CUT (Central Única do Trabalhador), que vai mudar esta proposta”, ressaltou ele.

Cunha espera que o Senado Federal possa dar continuidade a tramitação da proposta, até para que haja “bom senso” nesta discussão. “O projeto estava parado na Câmara, fomos então discutir, resta a eles (senadores) decidirem como será no Senado, isto independe do presidente Renan Calheiros (PMDB-AL), pois se houver acordo de líderes vota em regime de urgência”.

O deputado federal Carlos Marun (PMDB) inclusive pediu a sua colega de partido, a senadora Simone Tebet (PMDB) que interceda junto ao presidente do Senado, para que a proposta não seja engavetada. “O Renan (Calheiros) não pode engavetar o projeto apenas pro vaidade, espero que convença ele, para que não sente em cima do projeto”.

Decisão – O presidente da Câmara explicou que havia uma resolução do TST (Tribunal Superior do Trabalho) que dizia que a terceirização não se aplicava a atividades de fim, porém no Supremo Tribunal Federal o assunto já tem seis votos a zero, contra esta resolução, e este placar não será revertido.

“Não existe nenhum direito garantido a estes trabalhadores terceirizados, este projeto faz esta regulamentação, trazer e garantir benefícios e direitos, esta é a intenção principal”. O deputado voltou a frisar que os protestos envolvem poder político sindical e sua arrecadação (sindical), que estes grupos usam o trabalhador como “escudo” para defender seus interesses.

Parlamentares – Os deputados federais de Mato Grosso do Sul que estiveram neste evento, justificaram suas posições. “A proposta amplia a garantia de direitos a todos os trabalhadores, não vejo nada que prejudique, já aqueles que protestam é um direito que eles têm, só não concordo coma tos de radicalismo”, disse o deputado Carlos Marun.

Já o deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT) que tinha votado a favor e na última hora, voltou atrás e se posicionou contra, explicou que mudaram um artigo no texto original, por isso mudou de ideia. “Votei contra em função do rompimento do acordo, tanto que desta vez a votação foi apertada, eles tiraram o trecho que obedecia as convenções de trabalho, sobre salário e sindicalização”, pontuou.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)