Cassilândia, Sexta-feira, 20 de Julho de 2018

Últimas Notícias

21/07/2004 08:32

Cronograma de pagamento de aposentados será mantido

Gabriela Guerreiro e Nelson Motta / ABr

O ministro da Fazenda, Antônio Palocci, afirmou ontem que, mesmo com as mudanças na maneira de arrecadar os recursos para saldar a dívida de R$ 12,3 bilhões do governo com os aposentados, como foi determinado pela justiça, o cronograma de pagamento anunciado pelo ministro da Previdência, Amir Lando, será mantido. O governo descartou o aumento da contribuição previdenciária das empresas, de 20 para 20,6%, a fim de quitar esse passivo, como fora proposto por Lando.

“Os pagamentos serão feitos daquela maneira. A única coisa que muda é a fonte de recursos para o pagamento do fluxo, porque o estoque já estava assumido pelo governo. Com essa sugestão do presidente (a adoção de medidas compensatórias), nós estamos readequando esse conjunto de medidas tributárias para suportar também o pagamento desse fluxo”, disse Palocci.

O governo incluirá a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre bens de capital e o alongamento da poupança para investimentos a longo prazo no pacote de medidas compensatórias que vai garantir o pagamento da correção de pensões e aposentadorias determinado pela justiça no período 1994/97.

O ministro explicou que o acordo firmado com os aposentados para o pagamento do passivo será oficializado pelo presidente Lula em Medida Provisória ou projeto de Lei que será assinado nos próximos dias. “As medidas continuarão sendo trabalhadas e vão continuar sendo assinadas pelo presidente”, ressaltou Palocci.

Já o ministro da Previdência, Amir Lando, ressaltou que o governo não recuou da decisão de aumentar a contribuição dos empresários, uma vez que a medida não chegou a ser anunciada oficialmente. “Eu disse que o acordo seria levado à decisão do presidente. Era uma idéia que não tinha caráter definitivo. Não afirmamos que isso teria caráter definitivo”, enfatizou.

O pagamento do passivo com os aposentados começará em setembro. O valor de R$ 12,3 bilhões é relativo à correção de pensões e aposentadorias concedidas entre fevereiro de 1994 e março de 1997, além dos atrasados. O valor retroativo será parcelado por um prazo que vai de um a seis anos para quem entrou na Justiça e de dois a oito anos para quem não recorreu.

Os aposentados que entraram na Justiça vão ter que desistir da ação e assinar um termo de adesão à proposta do governo nas agências da Previdência Social e nos Correios.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 20 de Julho de 2018
09:00
Santo do dia
Quinta, 19 de Julho de 2018
19:07
Cassilândia
16:09
Cassilândia
14:00
Artigo
09:00
Santo do dia
Quarta, 18 de Julho de 2018
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)