Cassilândia, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

16/08/2009 15:45

Crônica do Corino: Ari Braz Dias

Corino Rodrigues de Alvarenga

Ari Braz Dias foi para mim uma espécie de "tio de criação", pois desde criança ia muito à sua fazenda levado por meu irmão João Marinho, Delaide, em companhia dos meus sobrinhos e irmãos de criação Jáimisson, Antônio Carlos e Júlio César.
Um dos meus grandes amigos de infância era Suedson, seu filho, e mantive sempre boas relações de amizade com Simone, sua outra filha.
De Gabriela, a esposa, tenho excelentes lembranças, a face de uma senhora dócil e muito humana.
Ari Braz Dias sempre foi aquele homem senhor de fazenda, durão, na visão de quem não o conhecia bem.
Ari era um homem de notáveis qualidade, de inteligência nativa, herdeiro do também saudoso Braz Dias, com o qual conservava muitas vezes já em sua velhice, muitas vezes descansando em sua cadeira posta no alpende da casa.
Ari Braz Dias, muito mais do que pecuarista de renome, sempre foi um otimista e trabalhador por natureza.
Na minha infância, lembro-me de Ari Braz Dias falando sobre os norte-americanos, com sua alta tecnologia, que chegou ao topo ao ir à lua.
Ari sempre via aquilo como um expoente do conhecimento humano.
E de tia Gabriela lembro-me dos doces, dos biscoitos, da sua admiração pelo marido, da acuidade com que zelava pelo seu patrimônio familiar.
Ari fez-me cercar de pessoas tão boas, de momentos tão intensos, de alegrias que me reportam à infância.
Faz exatamente 20 anos que não vou a Cassilândia, mas essas lembranças estão vivas em minha memória.
Ari Braz Dis foi um dos patrocinadores do livro que escrevi - A Verdadeira História de Cassilândia -, lançado em 1986, e uma iniciatva do também saudoso jornalista Wanderleiy de Carvalho.
Ari Braz Dias, ao longo de sua vida, ajudou muita gente.
E com ele aprendi uma frase: "É mais fácil lidar com gado do que lidar com gente."
Esta frase eu ouvi dele, quando criança, perto do mourão da cerca de sua fazenda quando ele fez uma festa para sua filha Simone.
E Ari Braz Dias tinha razão.
Que tirou a sua vida, ao que se sabe, não foi nenhum touro bravo ou uma vaca enfezada.
Quem o matou foi exatamente um ser humano.
Gado não mata gente assim, à traição, para roubar não se sabe o quê.
Ari Braz Dias, a exemplo de sua família e a exemplo de seu rebanho, foi um homem de primeira linhagem.

CORINO RODRIGUES DE ALVARENGA

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
Quinta, 01 de Dezembro de 2016
11:00
Mundo Fitness
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)