Cassilândia, Segunda-feira, 28 de Setembro de 2020

Últimas Notícias

25/11/2003 13:56

Cristovam : privatização das universidades é um equívoco

Cecília Jorge/ABr

O ministro da Educação, Cristovam Buarque, afirmou hoje que, mesmo que o investimento no ensino superior beneficie diretamente mais a população de renda alta, isso não pode servir como argumento para defender a privatização das universidades. “É um equívoco. O que tem que mudar não é a forma de financiar a universidade, que tem de ser pública. O que a gente tem que mudar é a forma de ser da universidade para que ela tenha mais compromisso com a população”, defendeu.

O comentário de Cristovam, feito após a abertura do Seminário Internacional Universidade XXI, foi uma referência aos dados do estudo da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Fazenda, que revela que apenas 4% dos recursos federais destinados, em 2002, à saúde, educação e outras ações sociais beneficiaram a fatia dos 10% mais pobres. Segundo o relatório, 40% das verbas serviram aos 10% mais ricos da população.

O ministro afirmou que mais importante do que quem está estudando na universidade pública é a contribuição social que esse estudante poderá oferecer com a sua formação acadêmica. “Na hora que você fizer médicos e dentistas na quantidade e do tipo que o povo precisa, não importa se o aluno é filho de rico ou filho de pobre. O que importa é que ele vai trabalhar para os pobres, isso vale para todas as áreas, da ciência econômica às engenharias”, disse.

Promovido pelo Banco Mundial (Bird) e pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco), o seminário conta com a participação de 1,2 mil pessoas de 20 países para discutir e encontrar novos rumos para a universidade. O vice-presidente da República, José Alencar, participou da solenidade.

Ao final do evento, os participantes vão elaborar uma carta que será entregue ao diretor-geral da Unesco. Um dos pontos que serão discutidos é a proposta de incluir o ensino superior na Organização Mundial do Comércio (OMC). Cristovam chamou esta idéia de “mercantilização da educação”.

Para a presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), Wrana Panizzi, o reconhecimento dos serviços educacionais como “serviço comercial é a melhor expressão da extraordinária importância econômica alcançada pela pesquisa e pela formação superior na sociedade do conhecimento”.

O seminário prossegue, até quinta-feira (27), na Academia de Tênis de Brasília.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 27 de Setembro de 2020
11:00
Corrida/Nutrição/Fitness
Sábado, 26 de Setembro de 2020
07:28
Cassilândia/São José do Rio Preto
Sexta, 25 de Setembro de 2020
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)