Cassilândia, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

02/04/2009 07:36

Crise: Entidades beneficentes passam por dificuldades

Ivy Farias, ABr

São Paulo - Além das empresas e empregos, a crise financeira internacional causa impacto em um setor importante para a sociedade, a filantropia. Entidades beneficentes de São Paulo ouvidas pela Agência Brasil relataram as dificuldades financeiras que enfrentam desde setembro do ano passado.

No orfanato Cantinho que Encontrei, no bairro da Lapa, a situação se agrava desde outubro de 2008. "As doações caíram pela metade", conta a auxiliar de coordenação da instituição, Nadia Savaro. Segundo ela, o quadro está piorando a cada dia: "Estamos fazendo do jeito que dá, está ficando cada vez mais difícil".

No abrigo para animais abandonados Quintal de São Francisco, a crise trouxe uma conseqüencia drástica: a instituição fechou as portas terça-feira (31). Os diretores vão tentar encaminhar 183 cães para um novo lar. A presidente do abrigo, Angela Caruso, contou que as doações também despencaram 40% desde o fim do ano passado. O orçamento da instituição, segundo ela, está sendo complementado pelos diretores, que estão todos endividados.

"Recebemos e-mails de pessoas que pediam desculpa por não poder continuar ajudando porque tinham perdido o emprego", explicou. A presidente disse ainda que não é fácil arrecadar R$ 25 mil todo mês. "Temos custos como folha de pagamento, água, eletricidade. As obras do nosso abrigo estão paradas", completou. De acordo com ela, em época de crise, doações são os primeiros custos cortados de um orçarmento. "E no Brasil temos a cultura de ajudar primeiro os humanos, depois os animais", acrescentou.

A Fundação Dorina Nowill, instituição que auxilia portadores de deficiência visual em São Paulo, ainda não sentiu os impactos da crise em suas contas, mas já se prepara para eventuais perdas. De acordo com o gerente de captação de recursos, Valter Espínola Júnior, a fundação trabalha em parceria com empresas, que doam de acordo com seus lucros. "Se a empresa não tiver lucro, também não teremos receita", disse.

O gerente explicou que os efeitos da crise serão sentidos a partir de julho, já que o ano fiscal ainda não foi fechado. Para concretizar o orçamento, a instituição está buscando outros doadores e desenvolvendo novos projetos para arrecadar fundos. "Estamos criando cardápios em braille e livros falados para gerar renda porque as perspectivas indicam que teremos um desnível em nosso orçamento por conta da crise", afirmou.



Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)