Cassilândia, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

14/05/2009 18:33

Crime organizado mudou a segurança pública Italiana

Agência Notisa

Promotor italiano afirma que “crime organizado impeliu o Estado italiano a criar novas penalidades para seus autores e práticas de defesa a informantes, colaboradores e testemunhas”.

Cobertura especial direto da Emerj - Seminário Crime Organizado

Para Fausto Zuccarelli, promotor italiano e enviado da embaixada do país, o crime organizado na Itália “interage com redes criminosas de todo o mundo”. Segundo o promotor, a ‘força criminosa’ conta com armamentos provenientes do narcotráfico colombiano, auxílio financeiro de vastas redes de lavagem de dinheiro, suporte “logístico” de matadores e contas bancárias em diversos países. “Hoje não se pode falar em ‘crime organizado’, e sim em crime organizado multinacional”, assegurou ontem durante o seminário Crime Organizado, que termina hoje na Emerj.



“O crime organizado não conhece fronteiras. Barcos dos Bálcãs trazem armamentos para a Itália, que por sua vez os transfere para redes terroristas, como o ETA. E as redes criminosas italianas também recebem armamentos e entorpecentes da América Latina, e realizam operações com organizações criminosas africanas. Para piorar, as burocracias alfandegárias deixam incapacitadas as polícias que cuidam do combate a todas essas variedades de ações ilegais” afirmou Zuccarelli, criticando as políticas dos Estados contemporâneos.



Para o enviado da embaixada italiana, seu país sofre os “efeitos colaterais” provenientes das atividades das máfias. Segundo ele, as máfias empregam táticas “terroristas” tais como atentados à bomba, seqüestros e homicídios. As fontes de financiamento muitas vezes são o narcotráfico, o tráfico de influência e as redes de extorsão. “A quantidade de atos homicidas praticados pela máfia na Itália já ultrapassa a casa dos milhares, e, no passado, atingiu várias vítimas ilustres, como o juiz Giovanni Falconi”, disse.



Ele explicou que a Itália, em contrapartida, foi forçada a adotar uma série de medidas duras com relação ao sistema penal. “O governo italiano aprovou leis que reduzem drasticamente as liberdades dos prisioneiros – com o intuito de amputar possíveis contatos entre o corpo e os dirigentes das redes mafiosas -, também criando penas ampliadas e aumentando a vigilância sobre atividades suspeitas”, disse. Outro lado do sistema penal Italiano afetado foram as estratégias de proteção às testemunhas/informantes. “A proteção a testemunhas italiana conta com meios para mudar identidades, transferir os sujeitados ao programa entre regiões, mudar profissões e até mesmo ‘recriar’ trajetórias profissionais – nesse ponto se aproxima bastante do modelo americano”, disse e esclareceu que neste grupo são incluídos os colaboradores, que contam com o privilégio da delação premiada.



Para Zuccarelli, apesar de todos os esforços nacionais, são indispensáveis ações conjuntas de diversos “Estados nacionais”. Segundo ele, os crimes multinacional e transnacional” demandam fronteiras mais flexíveis, menos burocratizadas. “A Europol e a Eurojus são exemplos de métodos de combate ao crime multinacional” exemplifica. O promotor assegura que “o conceito de soberania não é violado por ações conjuntas. A interferência de forças policiais estrangeiras pode ser eficaz e ‘sanitária’ para todos os países afetados”.



Agência Notisa (science journalism – jornalismo científico)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)