Cassilândia, Segunda-feira, 28 de Maio de 2018

Últimas Notícias

20/10/2008 18:05

Criadouros com formas imaturas do Aedes aegypti

Agência Notisa

O Ministro da Saúde José Gomes Temporão lançou hoje, no Rio de Janeiro, a Campanha Nacional de Combate à Dengue cujo objetivo, segundo release divulgado pela assessoria de imprensa do Ministério da Saúde, sugere que o combate aos criadouros dos mosquitos deve ser uma das estratégias na tentativa de diminuir ou eliminar a endemia. Tal estratégia é corroborada pelos resultados de pesquisa feita por Rafael Maciel de Freitas e colegas do Laboratório de Transmissores de Hematozoários do Instituto Oswaldo Cruz e da Escola Nacional de Saúde Pública (ambos da Fiocruz, Rio de Janeiro). Os resultados aguardam para ser publicados em edição impressa da revista internacional Tropical Medicine e International Health e vão além de apontar criadouros: estabelecem diferenças entre o potencial de produtividade destes quando comparam criadouros compostos por formas imaturas do mosquito àqueles com formas mais adultas.



O primeiro objetivo do trabalho foi, segundo os autores, avaliar a ocorrência, manutenção, produtividade e distribuição espacial, comparando o PCI (índice de produtividade de criadouros de Aedes aegypti) entre propriedades chamadas casas-chave (key premises) e casas infestadas, em um subúrbio (Tubiacanga) e em uma favela (Favela do Amorim) no Rio de Janeiro. O segundo interesse foi estabelecer o papel destes fatores na distribuição espacial da fêmea do mosquito, responsável por picar e infestar os seres humanos. De acordo com o texto, casas-chave são propriedades que contêm três ou mais criadouros de formas imaturas do mosquito (larva ou pupa) e parecem ser estes exatamente os locais responsáveis pela maior produtividade do vetor, quando não combatidos.



Na pesquisa, os cientistas inspecionaram 2456 casas para formas imaturas e 1100 para a forma adulta do mosquito. “As casas-chave corresponderam a 16,08% e 17,86% de casas infestadas em Tubiacanga e 13,5% e 11,1% na Favela do Amorin, durante as estações secas e chuvosas, respectivamente”. Além disso, as casas-chave tinham significativamente mais pupas e larvas do que as casas infestadas em ambas as localidades e em ambas as estações, além do que o PCI das casas-chave da Favela do Amorim foi mais alto do que o das casas infestadas.



Para os autores, um fato importante é que a medida da PCI “provê uma estimativa alternativa satisfatória sobre o nível de infestação das casas sem a necessidade de entrada nas mesmas”. Tal importância deve-se, segundo eles, ao uso do PCI poder fazer frente a um fator importante que limita o controle da dengue: a obstrução que os moradores impõem à inspeção de seus criadouros. “Esta abordagem provou ser confiável em Queensland (Austrália), onde casas com PCI elevado mostraram maior probabilidade de estarem infestadas e apresentaram mais criadouros infestados do que casas com um PCI baixo”, afirmam no artigo. Por fim, eles observaram que “a distribuição de casas-chave e de fêmeas adultas do Aedes aegpty foi sempre congruente, indicando que as casas-chave influenciam o padrão de infestação observado nas áreas estudados”.



Mais dados sobre a sobrevivência e dispersão do mosquito da dengue estão descritos em outra obra de Rafael Maciel de Freitas – sua dissertação de mestrado disponível on line no endereço http://www.bdtd.cict.fiocruz.br/tedesimplificado/tde_arquivos/2/TDE-2006-08-29T141327Z-44/Publico/Tese%20Rafael%20Maciel%20de%20Freitas.pdf. O trabalho foi defendido na Fiocruz para obtenção de título de mestre em biologia parasitária na área de entomologia médica e orientado por Ricardo Lourenço de Oliveira e Claudia Torres Codeço.






Agência Notisa (science journalism – jornalismo científico)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 27 de Maio de 2018
Sábado, 26 de Maio de 2018
14:57
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)