Cassilândia, Domingo, 29 de Março de 2020

Últimas Notícias

16/03/2020 10:30

Covid-19: dividir tereré deixa população na fronteira do contágio

Campo Grande News

É invisível e não é possível controlar. Apesar disso, é possível diminuir, com uma série de medidas de contenção, que a curva de contágio do novo coronavírus aumente mais do que o previsto. Em Mato Grosso do Sul, há um hábito em especial que é inimigo da prevenção: o uso coletivo da bomba de tereré.

O ministério da saúde já alertou, seguido pela SES (Secretaria Estadual de Saúde) e Sesau (Secretaria Municipal de Saúde). Médica infectologista da Santa Casa, Priscila Alexandrino explicou que não há nada que prove segura a divisão do copo, seja com família ou amigos. A regra é uma só: uso individual.

No quiosque de água de coco de uma família na Orla Morena, pai, mãe filho de 17 anos dividiam a mesma bomba de tereré, na tranquilidade, neste domingo (15) A cuidadora de saúde mental, 38, Rafaela Pinheiro disse ser necessário “acreditar mais em Deus” e citou surtos anteriores de “gripe aviária e ebola”.

Apesar de já ter sido demonstrado que o vírus não tem se alterado em altas temperaturas, tradição em país tropical como o Brasil, ela disse acreditar “que não vai se espalhar porque vírus gosta de frio”.

“A gente está dando muito ipobe, tem gente que não quer mais ser abraçado, dar a mão, daqui a uns dias ninguém vai poder chegar perto do outro” disse ela e emendou que a família vai continuar tomando tereré e que não divide a bomba “com quem não conhece”.

O filho, estudante de 17 anos Francisco Reinaldo disse que gosta de tomar o tereré sozinho “porque se incomoda de servir as pessoas”. “Tenho medo do coronavírus, mas acredito que pesquisadores e médicos estão estudando para se chegar a uma solução”, disse.

Ainda na orla, o casal Leisiane Silva, 37, artesã, e o tatuador Eliandro Silva, 42, disseram que não vão parar de compartilhar a bomba. “A gente trabalha junto, mora junto”. Entre a nova rotina de cuidados, disseram terem parado de compartilhar com os amigos e suspendido o tereré de graça no estúdio de tatuagem.

“Antes o tereré ficava disponível para o cliente”, finalizou.

Mato Grosso do Sul tem dois casos confirmados, estudante de 23 anos e homem de 31, em Campo Grande, da Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus. Há, ainda, 4 em investigação segundo últimos dados da SES (Secretaria Estadual de Saúde).  

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 28 de Março de 2020
11:00
Esporte com Saúde
Sexta, 27 de Março de 2020
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)