Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

10/08/2007 07:27

Correios não é obrigado a atender periferia de cidade

STJ

Até o julgamento definitivo da ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) não está mais obrigada a regularizar as entregas de correspondências em todos os logradouros do município de Blumenau (SC) e região. A ordem havia sido dada em caráter liminar pelo juízo federal de primeiro grau, mas foi suspensa pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). O ministro Raphael de Barros Monteiro Filho, presidente do Tribunal, entendeu que a medida traz risco de lesão à ordem pública administrativa e econômica.

A liminar fixava prazo de 60 dias para que a entrega fosse regularizada em Blumenau e de 90 dias, nos demais municípios da região. Determinava também que fosse elaborado relatório mensal com as medidas adotadas, bem como fossem reembolsados os remetentes das correspondências que não pudessem ser entregues pelos carteiros. A ECT recorreu ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região, que manteve a liminar.

No pedido feito ao STJ, a empresa argumentou que o prazo para cumprimento das exigências era pequeno, que elas trariam impacto sobre o orçamento de cerca de R$ 2 milhões anuais e que forçariam a realização de concurso público.

Ao analisar o caso, o ministro presidente avaliou como exíguo e insuficiente o prazo dado pelo juízo de primeiro grau para que a ECT cumprisse a liminar, tendo em vista a necessidade de nova mão-de-obra, o que demandaria treinamento. Para o ministro Barros Monteiro, é desarrazoada a determinação de reembolso dos valores pagos pelas correspondências não entregues no ato de devolução das cartas. Da mesma forma, o fato de não haver previsão orçamentária para a expansão do serviço, muito menos para o pagamento de multa diária caso a decisão não fosse cumprida, indicou ao presidente do STJ o risco de lesão à economia pública. De acordo com o ministro, “somente com uma análise profunda do caso será possível concluir pela irregularidade da prestação de serviços da ECT”.


Autor(a):Sheila Messerschmidt

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)