Cassilândia, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

15/05/2015 08:16

Corregedoria do CNJ aplaude projeto do Judiciário sul-mato-grossense

TJMS
Corregedoria do CNJ aplaude projeto do Judiciário sul-mato-grossense

Mais uma vez os projetos de justiça social promovidos pelo Poder Judiciário em Mato Grosso do Sul são reconhecidos nacionalmente. A Corregedoria Nacional de Justiça, órgão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), destacou na sessão “Nosso Aplauso!”, em seu portal, a iniciativa inédita do Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul, por meio do projeto “Pintando Educação com Liberdade”, que já reformou três escolas públicas de Campo Grande com mão de obra de presos do regime semiaberto, beneficiando mais de 2.500 alunos da rede estadual de educação. A reforma da quarta escola começa nas próximas férias do meio de ano.

A publicação, que é feita por meio de matéria jornalística (http://www.cnj.jus.br/corregedoriacnj/nosso-aplauso/77236-pintando-educacao-com-liberdade), destacou a economia que é proporcionada ao erário público com a iniciativa.

O governo estadual já economizou mais de R$ 1 milhão com este projeto, pois o principal diferencial da iniciativa, como explica o seu idealizador, juiz Albino Coimbra Neto, titular da 2ª Vara de Execução Penal, “os próprios presos trabalham na obra e todos os custos com materiais são pagos com parte do salário deles e de outros apenados que estão empregados em órgãos públicos, parques e indústrias da cidade”.

Já trabalharam no projeto cerca de 40 reeducandos do regime semiaberto de Campo Grande, que cumprem pena no Instituto Penal Agroindustrial da Gameleira. O presídio é referência nacional em ressocialização dos presos pelo trabalho, pois consegue direcionar cerca de 85% dos apenados para trabalharem em indústrias e hortas instaladas dentro do local e, também, em empresas externas que buscam e trazem os detentos todos os dias, proporcionando o aprendizado de uma nova profissão, salário e cesta básica, além da remição da pena, que diminui um dia de prisão a cada três dias trabalhados.

A matéria aborda a inauguração da terceira obra, na Escola Estadual Padre Mário Blandino, localizada no bairro Aero Rancho, um dos mais populosos da capital sul-mato-grossense, ressaltando os depoimentos de um detento, da diretora, de uma aluna e da mãe de dois alunos, o que reforça o caráter ressocializante da medida do Judiciário estadual. “É uma grande satisfação ver essa escola transformada. É fruto que quem sabe até mesmo eu posso colher, já que meus filhos poderão ser alunos aqui”, disse o reeducando Daniel Matias, 40 anos, que trabalhou como pedreiro na reforma.

Os depoimentos do presidente do TJMS, Des. João Maria Lós, do governador do Estado, Reinaldo Azambuja, do diretor-presidente da Agência Penitenciária, tenente-coronel Pedro César Figueiredo de Lima, e do diretor do presídio semiaberto, Tarley Cândido Barbosa, foram destacados. “Não é apenas uma obra, é um trabalho de ressocialização de quem algum dia cometeu um erro e agora tem a oportunidade de vislumbrar um novo horizonte”, disse o Des. João Maria Lós.

Já foram beneficiadas com o Projeto do Poder Judiciário "Pintando Educação com Liberdade", até agora em Campo Grande, pelo menos 2.500 alunos das escolas estaduais Delmira Ramos, no Bairro Coophavilla II, Brasilina Ferraz Mantero, no Jardim Leblon, e Padre Mário Blandino, no bairro Aero Rancho. A próxima contemplada com a iniciativa será a Escola Estadual Flavina Maria da Silva, localizada no bairro Botafogo. As obras começam durante as férias do meio do ano.

Por isso, o Projeto do Poder Judiciário "Pintando Educação com Liberdade" mereceu o aplauso da Corregedoria do CNJ.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
09:00
Maternidade
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)