Cassilândia, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

04/11/2015 09:05

Corpos de pai e filho foram sepultados hoje; mãe continua internada

Victor Augusto, Diário da Região

Uma tragédia familiar comoveu a Estância Turística de Ibirá, na manhã desta terça-feira, dia 3. O menino José Lucas da Silva, de 4 anos, morreu depois de ter sido picado por um escorpião. Inconformados, pai e mãe tomaram veneno. O pai, Lucas Sanches Silva, 40 anos, morreu, e a mãe está internada em estado grave no Hospital de Base, em Rio Preto. De acordo com Cristiano Requena, tio da criança, a família estava toda reunida na fazenda de Lucas, quando o menino reclamou de dor no dedão do pé. Quando os pais descobriram que tinha sido um escorpião, pegaram a caminhonete e foram para o Hospital de Base, que fica a cerca de 40 quilômetros de distância.

"O acidente foi logo depois do almoço. Foi tudo muito rápido. Eles ficaram juntos com o menino no HB até o momento que os médicos avisaram que o garoto tinha morrido", disse o tio da criança. O menino José Lucas da Silva não resistiu ao tratamento médico e morreu por volta das 6h desta terça-feira, dia 3. Quando os pais souberam, ligaram para alguns parentes e comentaram "que a vida tinha acabado." A frase seria um sinal de que cometeriam suicídio.

"Eles me ligaram e disseram que não tinha mais sentido viver e que estava tudo acabado. Até tentei acalmar, mas ele não me ouviu", disse um amigo que pediu para não ser identificado. O casal retornou de Rio Preto para Ibirá e foi encontrado por esse amigo dentro da caminhonete. Ambos estavam desacordados. O socorro médico foi acionado e os dois foram levados para a Santa Casa de Ibirá e a suspeita é de que os teriam tomado veneno (pesticida).

O pai morreu logo depois de chegar na Santa Casa. A mãe, Natália Fernandes Ballero, 29 anos, continua internada em estado grave na UTI Hospital de Base de Rio Preto. O enterro do menino e do pai estava previsto para hoje, dia 4,  às 8h  no Cemitério Municipal de Ibirá.

O delegado de Ibirá, Luciano Birolli, afirmou que o caso foi registrado como suicídio e tentativa de suicídio. Ele disse ainda que as causas da morte serão apuradas através da perícia, mas que o caso está praticamente esclarecido. "Requisitamos os laudos da perícia, mas pelo que foi apurado os dois, em consentimento, tentaram contra a própria vida. Periciamos o carro e não tinha marca de violência", disse. O delegado informou ainda que ficou estarrecido com o caso. "Em 20 anos de polícia nunca vi nada tão triste como esse caso. A gente nunca imagina uma situação dessas", disse.

Seis pessoas são atacadas por dia

Por dia, em média seis pessoas são atacadas por escorpião na região. Foram 1.568 casos até o dia 22 de setembro, sendo que duas pessoas morreram na região. O coordenador do Centro de Toxicologia do Hospital de Base de Rio Preto, Carlos Caldeira, afirmou que a picada do escorpião na maioria dos casos não é fatal, porém, ela é mais perigosa em crianças abaixo de 12 anos. "Normalmente o paciente evolui bem apenas com remédio para dor. Apenas em casos muito extremos é que o soro antiveneno é aplicado."

Segundo ele, o veneno do escorpião amarelo é um dos mais perigosos, pois age direto no coração fazendo com que os batimentos cardíacos diminuam e o paciente corre o risco de ter uma parada. "A primeira coisa a se fazer é levar ao atendimento médico. As pessoas não devem tentar fazer nada em casa. Se além da dor, o paciente estiver com suor excessivo e vomitando, isso é um sinal de alerta e o paciente deve ser levado para a unidade de referência, no caso, na região, o Hospital de Base é um dos centros especializados", disse.

 

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 11 de Dezembro de 2016
06:04
Fotogaleria
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)