Cassilândia, Segunda-feira, 20 de Fevereiro de 2017

Últimas Notícias

04/11/2015 09:05

Corpos de pai e filho foram sepultados hoje; mãe continua internada

Victor Augusto, Diário da Região

Uma tragédia familiar comoveu a Estância Turística de Ibirá, na manhã desta terça-feira, dia 3. O menino José Lucas da Silva, de 4 anos, morreu depois de ter sido picado por um escorpião. Inconformados, pai e mãe tomaram veneno. O pai, Lucas Sanches Silva, 40 anos, morreu, e a mãe está internada em estado grave no Hospital de Base, em Rio Preto. De acordo com Cristiano Requena, tio da criança, a família estava toda reunida na fazenda de Lucas, quando o menino reclamou de dor no dedão do pé. Quando os pais descobriram que tinha sido um escorpião, pegaram a caminhonete e foram para o Hospital de Base, que fica a cerca de 40 quilômetros de distância.

"O acidente foi logo depois do almoço. Foi tudo muito rápido. Eles ficaram juntos com o menino no HB até o momento que os médicos avisaram que o garoto tinha morrido", disse o tio da criança. O menino José Lucas da Silva não resistiu ao tratamento médico e morreu por volta das 6h desta terça-feira, dia 3. Quando os pais souberam, ligaram para alguns parentes e comentaram "que a vida tinha acabado." A frase seria um sinal de que cometeriam suicídio.

"Eles me ligaram e disseram que não tinha mais sentido viver e que estava tudo acabado. Até tentei acalmar, mas ele não me ouviu", disse um amigo que pediu para não ser identificado. O casal retornou de Rio Preto para Ibirá e foi encontrado por esse amigo dentro da caminhonete. Ambos estavam desacordados. O socorro médico foi acionado e os dois foram levados para a Santa Casa de Ibirá e a suspeita é de que os teriam tomado veneno (pesticida).

O pai morreu logo depois de chegar na Santa Casa. A mãe, Natália Fernandes Ballero, 29 anos, continua internada em estado grave na UTI Hospital de Base de Rio Preto. O enterro do menino e do pai estava previsto para hoje, dia 4,  às 8h  no Cemitério Municipal de Ibirá.

O delegado de Ibirá, Luciano Birolli, afirmou que o caso foi registrado como suicídio e tentativa de suicídio. Ele disse ainda que as causas da morte serão apuradas através da perícia, mas que o caso está praticamente esclarecido. "Requisitamos os laudos da perícia, mas pelo que foi apurado os dois, em consentimento, tentaram contra a própria vida. Periciamos o carro e não tinha marca de violência", disse. O delegado informou ainda que ficou estarrecido com o caso. "Em 20 anos de polícia nunca vi nada tão triste como esse caso. A gente nunca imagina uma situação dessas", disse.

Seis pessoas são atacadas por dia

Por dia, em média seis pessoas são atacadas por escorpião na região. Foram 1.568 casos até o dia 22 de setembro, sendo que duas pessoas morreram na região. O coordenador do Centro de Toxicologia do Hospital de Base de Rio Preto, Carlos Caldeira, afirmou que a picada do escorpião na maioria dos casos não é fatal, porém, ela é mais perigosa em crianças abaixo de 12 anos. "Normalmente o paciente evolui bem apenas com remédio para dor. Apenas em casos muito extremos é que o soro antiveneno é aplicado."

Segundo ele, o veneno do escorpião amarelo é um dos mais perigosos, pois age direto no coração fazendo com que os batimentos cardíacos diminuam e o paciente corre o risco de ter uma parada. "A primeira coisa a se fazer é levar ao atendimento médico. As pessoas não devem tentar fazer nada em casa. Se além da dor, o paciente estiver com suor excessivo e vomitando, isso é um sinal de alerta e o paciente deve ser levado para a unidade de referência, no caso, na região, o Hospital de Base é um dos centros especializados", disse.

 

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 20 de Fevereiro de 2017
Domingo, 19 de Fevereiro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 18 de Fevereiro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)