Cassilândia, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

27/03/2010 12:02

Corcel Negro: Ibama flagra exploração ilegal de carvão

Midiamax

A operação ‘Corcel Negro’ do Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis) que fiscaliza o setor carvoeiro e siderúrgico em 14 estados brasileiros flagrou em Mato Grosso do Sul a exploração ilegal do carvão. A operação começou na segunda-feira (22) e até ontem 15 autos de infração foram lavrados.

De acordo a Divisão de Proteção Ambiental do Ibama MS, a maioria dos autos de infração foi por transporte irregular de carvão e produção sem comprovação de origem através do DOF (Documento de Origem Florestal). Foram lacradas 2 carvoarias ilegais na região de Ribas do Rio Pardo e uma em funcionamento no lixão da cidade de Paranaíba.

A situação revela o desmatamento nos biomas Cerrado e Pantanal. No Mato Grosso do Sul a operação está sendo realizada em toda a região do Bolsão, que fica no sudeste do Estado, a região tradicionalmente maior produtora de carvão. Também estão sendo fiscalizadas as principais indústrias consumidoras desse produto que são as siderúrgicas instaladas aqui no Estado.

São apenas sete equipes de fiscais do Ibama MS. As principais vias de escoamento do carvão são as BRs 497, 262 e 267. Por elas passam os caminhões que seguem em direção ao pólo siderúrgico de Minas Gerais, principal consumidor do carvão produzido em MS.

Segundo informações da assessoria do Ibama, em 2007 Mato Grosso do Sul se tornou o segundo maior produtor de carvão em todo o país com um total de 4,5 milhões de metros cúbicos de carvão. E neste mesmo ano o Estado também foi o maior exportador do produto para as siderúrgicas instaladas em Minas Gerais e os centros consumidores da região sudeste do país. Estes números também incluem o carvão importado do Paraguai, que entra no Mato Grosso do Sul através da fronteira seca com o país vizinho.

Em 2008 a produção de carvão do Estado ficou em 3,8 milhões de metros cúbicos. A superintendência do Ibama em Mato Grosso do Sul calcula que os números de 2009 sejam menores em razão das inúmeras operações de fiscalização do Ibama deste setor no Estado e também em razão da diminuição da produção das siderúrgicas por causa da crise econômica.

Nos últimos 3 anos, Mato Grosso do Sul perdeu cerca de 270 mil hectares de mata nativa. A maior parte dessa derrubada em massa se deve à produção ilegal de carvão no Estado. Hoje há 84% da planície preservada e 47% do planalto.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)