Cassilândia, Terça-feira, 29 de Setembro de 2020

Últimas Notícias

16/09/2003 14:12

Consumidor paulista está menos inclinado a comprar

Marli Moreira/Agência Brasil

São Paulo - O consumidor da região metropolitana de São Paulo está menos animado a comprar. É o que mostra a pesquisa realizada pela Federação do Comércio de São Paulo. O Índice de Intenções do Consumidor (IIC) caiu 2,15% em setembro, registrando 104,46 pontos, em relação ao mês anterior.

Numa escala que vai de 0 a 200, essa amostragem demonstra que o universo pesquisado (900 consumidores) ainda não atingiu a marca do pessimismo que estaria sinalizado sempre que o IIC ficar abaixo dos cem pontos. O comportamento de desânimo, no entanto, foi detectado entre os consumidores com ganhos até cinco salários mínimos. Nessa faixa de renda, a intenção caiu para 79,21 pontos, com variação negativa de 2,06%.

De acordo com o economista da Fecomércio, Oiram Corrêa, a preocupação com a falta de emprego foi o principal fator que levou à queda no Índice de Intenções do consumidor. Ele observa, porém, que, apesar desse recuo, começa a ser detectada a possibilidade de uma volta às compras motivada pela redução que vem ocorrendo na Taxa Básica de Juros, a Selic, hoje em 22% ao ano.

A pesquisa apontou, ainda, que os consumidores pretendem adquirir bens duráveis nos próximos 60 dias. Isso evidencia apenas a parcela da população capaz de quitar esses produtos no curto prazo, observa Oiram, lembrando que a maioria ainda está muito cautelosa, não arriscando se envolver em financiamentos de longo prazo sem saber ao certo como vão ficar as taxas futuras.

Como o declínio gradual da Selic demora a surtir efeito sobre os juros praticados no mercado varejista, a expectativa é de que a retomada nesse segmento seja ainda retardada ou, no máximo, se equipare ao desempenho de 2002. O economista citou, a propósito, que, em julho último, a taxa média cobrada nos cartões de crédito oscilou em torno de 10,65% e de 10,52%, em agosto, atingindo no acumulado de doze meses 232%.

Além da necessidade de uma recomposição de renda, o consumidor precisa estar seguro para assumir compromissos de compras a crédito, afirma Oiram. Ele não acredita que uma nova redução da taxa, nessa reunião que se inicia hoje no Comitê de Política Monetária- Copom- possa de fato trazer um forte incremento imediato ao comércio varejista . Mas admite que haverá um reflexo positivo.

Na opinião dele, a queda gradual dos juros sinaliza uma mudança de comportamento no consumidor. Conforme e pesquisa, em agosto, 52,22%% dos entrevistados responderam que não queriam comprar nada. Já em setembro esta variação caiu para 48,89%.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 29 de Setembro de 2020
Segunda, 28 de Setembro de 2020
10:08
Campo Grande
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)