Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

18/03/2005 09:23

Conselho Tutelar Indigena é assunto da CPI

divulgaçãodivulgação

Almires Martins Machado, indígena Guaté (mistura de Terena com Guarani) da aldeia Jaguapiru de Dourados, relatou que sua revolta e luta por um conselho tutelar indígena teve início no ano de 2001, quando aconteceu a trágica história de uma indígena no Estado que vendeu a filha por uma garrafa de pinga e depois a mesma foi encontrada morta e violentada. "Comuniquei a polícia federal e o ministério público e então lutei muito para a criação de conselhos tutelares indígenas, mas não deu em nada", contou Machado.

Nas declarações de Maria Carmem Matsumaká, que é ex-coodenadora nacional dos conselhos tutelares, ela descreveu a luta para a criação de um Conselho Tutelar Indígena. Ela que organizou o 1° Fórum Regionalizado sobre a questão no ano de 2003, explicou que muitas propostas foram criadas para amenizar os problemas de fome, abuso sexual, vício, desnutrição e exploração, dentre elas, a criação de um centro de referência dentro das aldeias com o intuito de desenvolver múltiplas atividades.

O deputado Maurício Picarelli disse que vai trabalhar para que em breve haja um Conselho Tutelar do Índio, onde poderia ser feita uma fiscalização mais próxima dos problemas que atingem as famílias indígenas do Estado.

Após o depoimento de Maria Carmem, o Presidente da Comissão agradeceu a presença de todos e marcou para o próximo dia 31 de março, às 15h, quando deverão ser ouvidos índios da aldeia Caiuá/Guarani que pediram para depor.


Assessoria de Imprensa
Maurício Picarelli
Glaucia Jandre

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 09 de Dezembro de 2017
09:09
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)