Cassilândia, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

15/03/2006 08:34

Conselho de Ética aprova cassação de João Paulo Cunha

Agência Câmara

O Conselho de Ética e decoro parlamentar da Câmara aprovou por 9 votos a 5 o parecer do deputado Cezar Schirmer (PMDB-RS) que recomenda a cassação do mandato do ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha (PT-SP). A reunião, que teve início às 11 horas, só foi encerrada depois das 20 horas de ontem. "Foi realmente uma reunião longa, cansativa, com muitos detalhes. Houve o voto em separado da deputada Ângela, que levou mais de três horas para ser lido. Nós começamos as 11 horas da manhã. e terminamos depois das 20 horas. Nós estávamos julgando uma pessoa querida, que já foi presidente da Casa", afirmou o presidente do Conselho, deputado Ricardo Izar (PTB-SP).

Voto em Separado
Na reunião, a deputada Ângela Guadagnin (PT-SP), apresentou voto em separado pedindo o arquivamento do processo contra João Paulo. A deputada levou 3 horas e 50 minutos para ler seu voto de 79 páginas em que contestou as teses do relator.
O relator, no entanto, manteve seu parecer. A acusação em seu relatório foi baseada em três fatos:
- o saque de R$ 50 mil feito pela esposa de João Paulo Cunha de uma das contas da agência de publicidade SMPB, do empresário Marcos Valério, acusado de ser o principal operador do "mensalão";
- a omissão intencional por João Paulo Cunha de fatos e informações relevantes para o Conselho; e
- a utilização em proveito próprio de contrato firmado entre a Presidência da Câmara e a SMPB.

"O fundamental é isso. O saque, a ocultação de informações e o contrato da SMPB, a mesma que deu R$50 mil reais a sua esposa", argumentou o relator.

Clima tenso
A reunião foi tensa e até mesmo o deputado João Paulo Cunha, que costuma adotar um tom ameno, fez um discurso agressivo em sua defesa, na qual disse que o relator foi mentiroso, omisso e preconceituoso em seu parecer. "Há partes do relatório que são mentira. Reafirmo que o relator em muitos momentos é omisso, que em muitos aspectos ele é preconceituoso e reafirmo que, em certos momentos, ele esbarra em questões de caráter."
Após a decisão do Conselho, o deputado João Paulo Cunha disse que já se prepara para uma nova batalha para conquistar o voto dos deputados no Plenário. O deputado também não descartou a possibilidade de recorrer à Comissão de Constituição e Justiça e também ao Supremo Tribunal Federal.

O Conselho de Ética volta a se reunir nesta quinta-feira (16), quando será lido o relatório do processo contra o deputado José Mentor (PT-SP).



Reportagem - Eduardo Tramarim
Edição – Paulo Cesar Santos


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)