Cassilândia, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

05/08/2004 08:03

Conheça os projetos premiados pela Abrinq

Vilma Amaro

A Fundação Abrinq entregou ontem, em São Paulo, o Prêmio Criança destinado a iniciativas voltadas a crianças de zero a seis anos. Dois são de Minas Gerais, um do Ceará e um do Rio de Janeiro.
Foram estes os vencedores:Categoria Educação Infantil : Programa Formação em Serviço para Educadores Infantis das Associações Rurais do Vale do Jequitinhonha (MG) Categoria Convivência Familiar: Projeto Prevenção do Abandono, Acolhida e Reinserção Familiar da Criança em Situação de Risco, da Casa de Acolhida Novella (MG) Categoria Convivência Comunitária: Programa Compartilhando a Arte de Brincar, do Espaço Compartilharte em Canoas (RJ) Categoria Saúde do bebê, da gestante e da criança: Comunicando Saberes, Realizando Sonhos: o rádio no fortalecimento das competências familiares, na Catavento Comunicação e Educação Ambiental (CE) .

Informações:
Vilma Amaro
Fundação Abrinq
(11) 9127-5382
(11) 3069-0699 ramal 603
vilma@fundabrinq.org.br

"O Prêmio Criança da Fundação Abrinq chegou à sua 14a edição. Hoje é considerado um dos prêmios mais importantes na área da criança e pelo tempo de sua existência -15 anos-, já é tradicional e aguardado com interesse. Desde 2002 ele vem sendo dedicado a ações voltadas às crianças de zero a seis anos de idade. Com isso, a Fundação Abrinq coloca no centro das atenções os temas referentes aos bebês e crianças pequenas e aqueles que representam o seu entorno que são principalmente as mulheres e as famílias num momento extremamente delicado da vida das pessoas que é a primeira infância ", afirmou o Diretor-presidente da Fundação Abrinq, Rubens Naves.

Os vencedores:
Programa Formação em Serviço para educadores infantis das Associações rurais do Vale do Jequitinhonha (MG)

No Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais, educadores da zona rural tornam-se protagonistas de uma nova educação infantil. Desde 1999, o Fundo Cristão para Crianças (FCC) - Brasil desenvolve um programa permanente de formação junto a 88 instituições educativas de 17 municípios, buscando qualificar o atendimento realizado.

Até 2003, 85 ajudantes de sala de aula, 126 educadoras e 38 coordenadoras pedagógicas participaram do programa Formação em Serviço para Educadores Infantis das Associações Comunitárias Rurais do Vale do Jequitinhonha, beneficiando 2.705 crianças de zero a seis anos de idade. São meninos e meninas cujas famílias sobrevivem da lavoura de milho, arroz e feijão. Sem infra-estrutura de saneamento, energia, transporte ou saúde, muitas buscam migrar para a cidade. Analfabetos ou com pouco estudo, os adultos dificilmente encontram alternativa de trabalho, e as histórias se repetem com seus filhos.

O despreparo profissional estende-se às salas de aula das escolas locais. No geral, os educadores infantis não completaram o ensino médio, e poucas coordenadoras chegaram à faculdade. Atento à formação pessoal e profissional das equipes de suas instituições conveniadas, o FCC-Brasil decidiu lançar o programa, centrado na valorização dessas pessoas.

Criado em 1966 e mantido até hoje pelo Christian Children's Fund, o FCC-Brasil tem como missão "promover o desenvolvimento do potencial da criança e do adolescente, com o envolvimento da família e da comunidade, através de ações que fortaleçam o exercício da cidadania para a melhoria das condições de vida". Desenvolve programas na área de saúde, saneamento, nutrição, educação básica e desenvolvimento infantil. E não só em Minas Gerais, mas também em São Paulo, Ceará, Rio Grande do Norte e Pernambuco.

O programa Formação em Serviço para Educadores Infantis das Associações Comunitárias Rurais do Vale do Jequitinhonha visa capacitar os educadores de forma que eles próprios façam uma reflexão sobre o quê e como avançar no trabalho com as crianças e famílias. As experiências do cotidiano inspiram debates teóricos, possibilitando a construção de novos saberes que, por sua vez, são reorientados para a prática.

Fundo Cristão para Crianças (FCC) - Brasil
Rua Curitiba, 689 - 6o andar
30170-120 - Belo Horizonte - MG
Tel: (31) 3279-7400
Fax: (31) 3279-7416
www.apadrinhamento.org.br




Projeto Prevenção do Abandono, acolhida e reinserção familiar da criança em situação de risco, da Casa de Acolhida Novella (MG)

No Jardim Felicidade, em Belo Horizonte (MG), o direito à convivência familiar é garantido de maneira completa. Começa com o apoio às famílias, para que as crianças não precisem ser tiradas de casa. Continua com o resgate do vínculo familiar, quando elas são excepcionalmente abrigadas. E permanece com o acompanhamento da família, após a volta das crianças para casa.

O trabalho é realizado pela Casa de Acolhida Novella, fundada em 2001 com a missão de "acolher crianças de zero a seis anos, em situação de risco social e/ou pessoal, vítimas de violência doméstica, sob medida de proteção de abrigamento determinada pela Vara da Infância e da Juventude e Conselhos Tutelares e acompanhamento psico-social das famílias de origem, visando a superação da situação de risco e re-inserção da criança em seu meio".

Quando a comunidade aponta que alguma criança está em risco, os visitadores sociais vão até a família e avaliam a situação. Se o risco se confirma, a equipe oferece apoio para superar as dificuldades.

Se a família aceita o apoio, estabelece-se um vínculo de confiança, pois ela é ouvida e respeitada desde o primeiro momento. Os visitadores sociais buscam entender as relações existentes dentro de casa, incluindo avós, tios, amigos e vizinhos. Observa o dia-a-dia da família, suas necessidades e graves problemáticas, como o desemprego, analfabetismo, uso de drogas, violência sexual, trabalho infantil, desnutrição. E muitas vezes percebe-se que, apesar da complexa situação social e econômica, o principal desafio é motivar uma postura ativa da família frente às dificuldades vividas.

Creche Comunitária Jardim Felicidade - Casa de Acolhida Novella
Av. Profa. Gabriela Varela, 580 - Jardim Felicidade
31765-250 - Belo Horizonte - MG
Tel: (31) 3434-9390
Fax: (31) 3433-7293


Programa Compartilhando a arte de brincar, do Espaço Compartilharte em Canoas (RJ)

As crianças de Canoas começaram o ano de 1999 mais alegres. Foi o ano de estréia do Programa Compartilhando a Arte de Brincar, desenvolvido pelo Espaço Compartilharte. Vilarejo rural, situado na zona montanhosa de Teresópolis, no Rio de Janeiro, no topo da Serra do Mar, Canoas tem uma população de 1.800 habitantes, com 60% das famílias vivendo na linha da pobreza ou mesmo na miséria, e 70% dos adultos analfabetos.

A região tem duas escolas rurais municipais até o primeiro ciclo do ensino fundamental. Há também uma escola estadual que atende até o ensino médio, mas fica a 20 quilômetros da maioria das casas. As crianças pequenas, entretanto, não contam com atendimento educativo. Nem com bibliotecas, quadras esportivas, teatros ou centros culturais públicos.

Por isso, o Programa Compartilhando a Arte de Brincar provocou tanto rebuliço. A arte, a cultura e a brincadeira ganharam lugar de honra na vida comunitária. Passaram a ter presença obrigatória na sede do Compartilharte, bem como em outros espaços da comunidade. Em 2003, participaram do programa 40 crianças de dois a seis anos de idade, 70 famílias e 200 moradores da comunidade, além de 120 professores, educadores populares, profissionais e voluntários da área de Educação.

O Espaço Compartilharte tem a missão de "promover o desenvolvimento humano através da atenção integral a crianças, adolescentes e familiares, com ações integradas nas áreas de educação e cultura, saúde e meio ambiente, capacitação e geração de renda, onde a conquista da cidadania se concretiza na vivência cotidiana de Valores e Direitos Humanos".

Espaço Compartilharte
Caixa Postal 92.795
25953-970 - Teresópolis - RJ
Tel. (21) 2644-6177
Fax (21) 2644-6675/6001
presidencia@espacocompartilharte.org.br
www.espacocompartilharte.org.br


Comunicando Saberes, realizando sonhos: o rádio no fortalecimento das competências familiares, da Catavento Comunicação e Educação Ambiental (CE)

Uma boa notícia espalha-se pelo semi-árido cearense. Por meio das ondas do rádio, as famílias estão falando, ouvindo e discutindo seu papel no desenvolvimento saudável das crianças. É o Projeto Comunicando Saberes, Realizando Sonhos: o Rádio no Fortalecimento das Competências Familiares, que já envolve 28 municípios do Ceará, destacados por terem os piores índices de desenvolvimento humano do país.

É uma iniciativa da Catavento Comunicação e Educação Ambiental, que já realizou duas etapas do projeto com apoio do Unicef. A primeira estendeu-se de outubro de 2002 a fevereiro de 2003, e a segunda de julho de 2003 a fevereiro de 2004. O financiamento foi novamente renovado e, a terceira fase está se preparando para ir ao ar.

Criada em 1995, a Catavento dedica-se à missão de "contribuir com a construção de uma sociedade justa e solidária, fortalecendo aspectos culturais que promovam o desenvolvimento territorial, integrado e sustentável, através de ações plurais, formativas e educativas de comunicação, priorizando o trabalho com crianças e adolescentes". Em todos os estados do Nordeste brasileiro, trabalha a partir de quatro eixos temáticos: Desenvolvimento Sustentável, Mobilização Social, Infância e Adolescência e Identidade Cultural.

Com o projeto Comunicando Saberes, lança-se ao objetivo de favorecer a troca de informações e práticas entre famílias, gestores municipais e profissionais de saúde na realização das competências familiares e municipais básicas para um desenvolvimento infantil saudável.

Catavento Comunicação e Educação Ambiental
Rua Costa Barros, 1.088 - casa 14 - Centro
60.160-280 - Fortaleza - CE
Tel: (85) 231-2765
catavento@baydenet.com.br

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
09:00
Maternidade
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)