Cassilândia, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

12/12/2005 17:03

Conheça os ganhadores do Prêmio Direitos Humanos

Keite Camacho/ABr

As organizações não-governamentais (ONGs) ganhadoras do Prêmio Direitos Humanos 2005 foram as seguintes:

Instituto de Migrações e Direitos Humanos (IMDH), do Distrito Federal, que atua em benefício de migrantes e refugiados e se inspira nos princípios que norteiam a missão das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeo (Scalabrinianas) e na Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeo, criada em 1895.

Central Única das Favelas (Cufa), referência desde 1999 para a juventude pobre e negra das periferias de cidades brasileiras. Auxilia na formação profissional e política dos jovens.

Grupo em Defesa da Diversidade Afetivo-Sexual (Divas), uma organização feminista voltada para a emancipação política e afetivo-sexual das mulheres lésbicas e bissexuais. Foi fundado em 25 de maio de 2003 em Recife (PE).

Fórum em Defesa dos Direitos Indígenas, criado em 2004, reúne organizações e personalidades preocupadas com políticas públicas para os povos indígenas. É hoje o principal instrumento de resistência dos povos indígenas às ameaças a direitos conquistados na Constituição Federal.

As instituições premiadas foram as seguintes:

Comissão de Direitos Humanos da Universidade Federal da Paraíba, que se destacou na promoção de cursos regulares de educação em direitos humanos e convoca diversas entidades para combater a discriminação e a violência contra populações vulneráveis no estado paraibano.

Núcleo de Direitos Humanos do Ministério Público do Estado de Alagoas, que desenvolveu trabalho com a coordenação da Promotora de Justiça, Alexandra Beurlen, na defesa dos direitos humanos econômicos, sociais e culturais, em especial na defesa do direito à alimentação no estado.

Prefeitura Municipal de Iconha (ES), que implantou neste ano um centro de atendimento para vítimas de violência que é referência para outros municípios. O centro é referendado pelo Conselho de Defesa dos Direitos da Mulher.

Conselho Federal de Psicologia, que tem fomentado, desde a criação de sua comissão de direitos humanos, em 2001, o debate o tema. Participa da luta antimanicomial e realiza visitas a hospitais, verificando violação de direitos, além de veicular programas contra o preconceito e preparar campanhas.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
21:32
Loteria
13:15
Cassilândia
09:00
Maternidade
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)