Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

04/10/2009 04:26

Confira 10 dicas para usar melhor o cartão de crédito

Fabiano Klostermann - Invertia

As operações com cartão de crédito atingiram R$ 25,538 bilhões em agosto, o que representa um crescimento de 22,7% na comparação com o mesmo mês de 2008. No entanto, pelos dados mais recentes do Banco Central (BC), a inadimplência (faturas em atraso há mais de 90 dias) da modalidade é de 28,26% - mais que o dobro da verificada no cheque especial, que é de 11,7%. O dado mostra como é fácil perder o controle dos gastos no "dinheiro de plástico".

Segundo especialistas ouvidos pelo Terra, a chave para não perder o controle do cartão de crédito é usar a modalidade apenas para centralizar gastos e aproveitar a facilidade na hora de parcelar compras.

Em caso de necessidade por crédito, a recomendação é procurar modalidades mais baratas, como o empréstimo pessoal, que no mês passado teve juros médios de 44,3% ao ano (3,1% ao mês), de acordo com o BC. O cartão de crédito teve taxa média de 237,93% ao ano (10,68% ao mês), bem acima da cobrada no crédito pessoal, segundo dados de julho da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac).

"Esse é o tamanho do rombo a que você vai estar sujeito. Confira a taxa de juros na base anual. Dá uma melhor base do efeito da taxa no longo prazo", diz Andreas Belck, professor e chefe do departamento de finanças da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM).

Segundo ele, tomando por base a taxa média da modalidade, quem tomar R$ 1 mil no cartão de crédito - e não fizer nenhum pagamento intermediário - vai dever R$ 3.379,30 ao final de um ano - ou seja, 3,3 vezes mais do que emprestou inicialmente.

Para vice-presidente da Anefac, Miguel José Ribeiro de Oliveira, a regra básica para uso do cartão de crédito tem que ser gastar apenas o se pode pagar na própria fatura, evitando dessa forma os pagamentos mínimos e parcelamento de faturas.

"O ideal é que a pessoa determine limites que ela pode gastar por mês. E comum ter limite (do cartão) superior ao seu salário, o que pode ser um perigo", afirma ele.

Confira dicas para usar melhor o cartão de crédito:
1) Para solicitar um cartão, dirija-se a seu banco. Normalmente ele é fornecido sem restrições. Mas lembre-se: por se tratar de um produto de crédito, você só pode solicitá-lo se tiver o nome "limpo" com SPC, Serasa etc;

2) Negocie a anuidade. Normalmente os bancos liberam a cobrança da primeira. Mas, negociando, você pode obter descontos - ou até isenção - nas próximas;

3) Tenha apenas um cartão de crédito. Desta forma você diminui a possibilidade de perder o controle dos gastos. Antigamente, as bandeiras eram aceitas de forma diversa pelos lojistas (muitos só aceitavam uma). Agora, pelo menos as duas principais, são aceitas na maioria dos estabelecimentos;

4) Preste atenção aos benefícios dos programas de vantagens. Muitas vezes, um cartão que dá mais pontos cobra também uma anuidade maior. Verifique quais os prêmios oferecidos, o sistema de pontuação e seus gastos (para ver se vai conseguir trocar os pontos antes deles expirarem);

5) Preste atenção à data de vencimento do seu cartão. Ela deve ser escolhida levando em conta quando você recebe o seu salário. Estabeleça uma margem de segurança para algum imprevisto. Por exemplo, se você recebe até o quinto dia útil do mês, some mais alguns dias para escolher o vencimento do cartão para eventuais fins de semana e feriados, que podem fazer com que seu pagamento saia em um dia diferente;

6) Saiba quanto você pode gastar no cartão. Estabeleça um valor máximo por mês, baseado em seu salário. Acompanhe a fatura pelos meios disponibilizados pelo seu banco (telefone, e-mail, internet etc) para não perder o controle. Não deixe para ver seus gastos apenas quando a fatura chegar.

7) Tome cuidado com as compras parceladas. O valor pode ser pequeno, mas ele vai estar na sua fatura todos os meses pela duração do financiamento. E tenha em mente que parcelamento sem juros, quando há opção com desconto para o pagamento à vista, não é sem juros.

8) Caso perca o controle dos gastos e não consiga mais pagar as faturas, pare imediatamente de usar o cartão. Se tiver alguma aplicação financeira disponível (poupança, fundo de investimento etc) se desfaça dela para quitar a dívida. Atualmente, não existe no mercado aplicação de renda fixa que tenha rendimento superior aos juros cobrados no cartão de crédito. Caso não disponha de reserva para quitar a dívida do cartão, procure o banco para tentar tomar um empréstimo pessoal (ou, caso possível, um com desconto em folha, que tem juros mais baixos). Com ele, pague a dívida do cartão.

9) Se seu nome esteja inscrito em serviços de restrição ao crédito e não é possível tomar o empréstimo, se desfaça de algum bem, como um carro, por exemplo. Quite a dívida do cartão e, com o que sobrar, dê entrada em um novo veículo. O financiamento de automóveis tem um dos juros mais baixos do mercado (26,2% ao ano, ou 1,96% ao mês, em média, segundo o BC).

10) Em casos extremíssimos, quando não há patrimônio para vender e quitar a dívida, procure o banco para negociar o pagamento de seu débito. Normalmente os bancos oferecem prazos mais longos (24 meses), mas a primeira condição oferecida pode não ser a mais atrativa. Caso possa ficar com nome inscrito nos serviços de restrição ao crédito, deixe a situação evoluir. As instituições financeiras costumam oferecer condições melhores para dívidas mais antigas.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)