Cassilândia, Domingo, 28 de Maio de 2017

Últimas Notícias

18/09/2015 17:13

Confessou ter matado o médico de Costa Rica e a esposa, diz a polícia

Redação
Nogueira afirma ter cometido crime ao ser reconhecido pelas vítimas (Foto: Marcos Ermínio)Nogueira afirma ter cometido crime ao ser reconhecido pelas vítimas (Foto: Marcos Ermínio)

O trabalhador braçal Willian de Souza Nogueira, 28 anos, confessou ter matado o médico Abner Rodrigues da Silva, 74 anos, e a mulher dele, Irene Barbosa Soares, 52. Em depoimento, afirma ter invadido o imóvel para roubá-lo e cometeu o assassinato ao ser reconhecido pelas vítimas, pois prestava serviços no sítio delas. Além de gastar o dinheiro com cerveja e combustível, “passeou” duas vezes no carro do casal.

Conforme os delegados Edilson dos Santos Silva, do Garras (Delegacia Especializada de Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros), e Antenor Batista, da Delegacia em Bandeirantes, o suspeito morava com o pai em uma propriedade vizinha ao local do crime. Ele frequentemente recebia diária de R$ 80 para limpar uma área de eucaliptos e conhecia a rotina da família.

Investigações apontaram que Nogueira já planejava assaltar o casal, mas só “criou coragem” enquanto bebia no último dia 11. Na ocasião, ele cobriu a cabeça com uma camiseta, invadiu a residência e anunciou o roubo armado com uma faca. Abner, entretanto, reagiu e conseguiu remover o tecido, revelando o rosto do invasor.

Encurralado, pois o casal o conhecia, ele amarrou o médico e levou a mulher para o quarto, onde a degolou. Em seguida, exigiu que o médico lhe desse R$ 250 em dinheiro, cartões e as senhas, matando-o em seguida.


Nogueira então pegou a caminhonete das vítimas e foi até São Gabriel do Oeste, onde vive a ex e o filho. Ele foi junto com o cunhado Lucas do Nascimento até um posto de combustíveis da cidade, onde abasteceu R$ 100 e comprou R$ 30 em cerveja.

Ainda na sexta-feira, retornou ao sítio onde estavam os corpos, deixou o veículo na garagem e foi para casa.

No sábado, ele percebeu que ainda não havia qualquer movimentação no sítio das vítimas. Ele pegou novamente a caminhonete e retornou a São Gabriel, onde comprou mais R$ 35 de cerveja.

Depois, voltou pela segunda vez à cena do crime, abandonando definitivamente o automóvel.

Segundo a polícia, no domingo o suspeito resolveu fugir para Campo Grande, onde foi abrigado por parentes. Na terça-feira pela manhã, três dias e algumas horas após o homicídio, as vítimas foram encontradas.

Com medo, Nogueira fugiu até um matagal às margens da MS-040. Durante a semana, investigadores foram até a casa da família dele e passaram a monitorá-los. Ontem, no fim da tarde, ele entrou em contato pedindo ajuda. Os policiais foram até o local combinado e o prenderam.


Antenor Batista relata que o suspeito narrou o crime com frieza, negando, porém, ter estuprado Irene antes de matá-la. Os delegados aguardarão o laudo do Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal) que apontará com certeza se a vítima foi violentada.

Diante do depoimento, a polícia concluiu que o bilhete ameaçador encontrado na cena do crime tinha intuito de despistar as autoridades, pois não há indícios de que o homicídio tenha sido cometido por vingança.

Em agosto do ano passado, o rapaz fugiu de dentro da delegacia de São Gabriel do Oeste após ser preso em flagrante por roubo qualificado. Apresentado à imprensa nesta sexta, Nogueira nada disse. Ele será indiciado por roubo seguido de morte. O cunhado dele vai responder por favorecimento, pois sabia que o cartão usado na compra das bebidas era roubado.

 

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 28 de Maio de 2017
Sábado, 27 de Maio de 2017
10:00
Receita do Dia
Sexta, 26 de Maio de 2017
10:01
Cassilândia
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)