Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

18/01/2007 06:01

Condenados acusados de latrocínio contra advogado

TJ/GO

O juiz Donizete Martins de Oliveira (foto), da 11ª Vara Criminal de Goiânia, condenou hoje (17) Walles Alves de Souza, o Coró, a 22 anos de reclusão e pagamento de 30 dias-multa, e Eduardo Leite de Aquino, o Maninho, a 21 anos de reclusão e 20 dias-multa, ambos em regime inicialmente fechado, por latrocínio (roubo seguido de morte) contra o advogado Aramísio Antunes Maciel. Seguindo entendimento recente do Supremo Tribunal Federal (STF), que autoriza a progressão de regime a condenados por crimes hediondos, o juiz deixou de aplicar o art. 2º, § 1º, da Lei 8.072/90, que fixa o cumprimento da pena em regime integralmente fechado para esses crimes, estipulando ainda que a pena deve ser cumprida na Penitenciária Coronel Odenir Guimarães em Aparecida de Goiânia.

Ao analisar os autos, Donizete Martins entendeu que a participação de Eduardo Leite e Walles Souza no crime é clara. Por outro lado, o magistrado rejeitou o pedido de absolvição da defesa de Walles por insuficiência de provas, considerando que o princípio de individualização da pena deve ser analisado no momento oportuno. Quanto ao direito de apelar em liberdade, requerido pela defesa de ambos os acusados, Donizete explicou que eles tentaram de várias formar dificultar a instrução do feito e a conseqüente elucidação dos fatos, além de pressionar testemunhas para que mudassem as versões sobre os fatos ou ocultassem alguma informação. "Para que se caracterize o crime de latrocínio é necessário que se comprove a relação de causalidade entre a conduta violenta do agente e a morte da vítima. Também é essencial que a subtração seja o objetivo da violência que venha a causar a morte, conforme orientação dos nossos tribunais. Assim, nesse caso entendo que não há dúvida de que a morte da vítima decorreu das lesões provocadas pelo disparo das armas de fogo e com a presença e participação dos acusados", esclareceu.

O crime

Conforme denúncia formulada pelo Ministério Público (MP) estadual, o crime aconteceu em 7 de abril do ano passado, por volta das 2 horas, na Avenida Cristal, no Setor Jardim Califórnia, em Goiânia. De acordo com a denúncia, Eduardo Aquino e Walles Alves de Souza, juntamente com outro comparsa que atende pelo nome de Lauro, arquitetaram o plano criminoso contra Aramísio no Bar do Lobó, na Avenida Topázio, no Jardim Califórnia enquanto ingeriam várias bebidas alcoólicas. Lauro, segundo os autos, conduziu o veículo da vítima levando-o ao encontro de Walles e Eduardo, em 6 de abril do ano passado, por volta das 19 horas, no referido bar. Dando prosseguimento ao plano, todos se dirigiram à residência de Eduardo e na seqüência os denunciados abordaram o advogado abruptamente, exigindo-lhe dinheiro e outros objetos de valor. Consta da denúncia que em seguida, Eduardo e Lauro, de posse do veículo de Aramísio, um Golf, de cor prata, e dos seus cartões de crédito tentaram efetuar por diversas vezes vários saques em dinheiro, mas não conseguiram seu objetivo, devido à insuficiência de fundos na conta.

Após imobilizar a vítima completamente, Walles Alves continuou ameaçando o advogado com uma arma de calibre 38 para que este lhe entregasse a senha de seus cartões bancários. Ainda segundo a denúncia, o acusado repassava, por telefone, a outras pessoas as senhas na tentativa de realizar os saques, mas diante da impossibilidade de retirar o dinheiro, Eduardo Leite e Lauro roubaram a aparelhagem de som e demais acessórios do carro de Aramísio, dividindo os pertences entre eles. Logo depois, eles colocaram a vítima, amordaçada e trajando apenas roupa íntima, no porta-malas do carro e dirigiram-se à região do trilho de ferro. Ao receber cobertura de Eduardo, Walles e Lauro, de acordo com o MP, pararam o automóvel no local e desferiram dois tiros contra Aramísio para, em seguida, empurrar o carro da vítima dentro do Córrego dos Buritis, na divisa do Jardim Califórnia com a Vila Maria Luíza. Na denúncia consta que o corpo do advogado foi encontrado dentro do porta-malas de seu carro, na posição fetal, em 7 de abril do ano passado, por volta das 16 horas, no mesmo local. (Myrelle Motta)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)