Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

06/09/2007 06:22

Comitiva russa avalia situação sanitária no Brasil

Erich Decat /ABr

Brasília - Uma comitiva do serviço veterinário da Federação Russa ficará por 20 dias no Brasil para avaliar a situação sanitária. A informação é do secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Inácio Kroetz, que se reuniu ontem (5) com os técnicos russos e acrescentou que as análises de campo deverão começar na segunda-feira (10).

A delegação, com 20 pessoas, também ajudará a definir uma plano de trabalho com o objetivo de preparar o primeiro memorando de entendimento sobre regras sanitárias entre os dois países. “Eles vão examinar nossa capacidade de diagnóstico e laboratorial, controles da produção de insumos, a situação epizoótica [serviço de sanidade animal], nosso sistema de inspeção e o programa de controle e erradicação da brucelose e tuberculose”, disse Kroetz.

A Rússia, atualmente, compra carne bovina do estados de Goiás, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, São Paulo, Tocantins e Roraima. Já a carne suína é importada de Mato Grosso e do Rio Grande do Sul.


O secretário lembrou que além dos países da União Européia, o maior mercado isolado para a carne brasileira é a Federação Russa. Nos últimos meses, países como a Inglaterra e a Irlanda têm promovido discussões em favor do embargo à carne brasileira. Ontem (4), cinco deputados do Parlamento Europeu iniciaram uma campanha para banir da região a carne bovina brasileira, sob a alegação de risco à saúde após os registros de febre aftosa no país.


Para Inácio Kroetz, a avaliação dos parlamentares não se baseia em dados concretos: “Isso é fruto de uma investigação clandestina realizada aqui no Brasil e é absolutamente desprovida de crédito, porque não é oficial, não respeitou qualquer parâmetro”.

O secretário também adiantou que o Brasil deverá investir US$ 750 mil por ano, até 2011, no combate à febre aftosa na divisa de Mato Grosso com a Bolívia. Os recursos sairão do Fundo para a Convergência Estrutural do Mercosul (Focem).
“É a forma encontrada pelo Brasil para cooperar com os países vizinhos que têm problema com a aftosa. Nós não teremos um Brasil livre e seguro enquanto o vírus circular na América Latina”, disse.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)