Cassilândia, Terça-feira, 22 de Maio de 2018

Últimas Notícias

06/09/2007 06:22

Comitiva russa avalia situação sanitária no Brasil

Erich Decat /ABr

Brasília - Uma comitiva do serviço veterinário da Federação Russa ficará por 20 dias no Brasil para avaliar a situação sanitária. A informação é do secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Inácio Kroetz, que se reuniu ontem (5) com os técnicos russos e acrescentou que as análises de campo deverão começar na segunda-feira (10).

A delegação, com 20 pessoas, também ajudará a definir uma plano de trabalho com o objetivo de preparar o primeiro memorando de entendimento sobre regras sanitárias entre os dois países. “Eles vão examinar nossa capacidade de diagnóstico e laboratorial, controles da produção de insumos, a situação epizoótica [serviço de sanidade animal], nosso sistema de inspeção e o programa de controle e erradicação da brucelose e tuberculose”, disse Kroetz.

A Rússia, atualmente, compra carne bovina do estados de Goiás, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, São Paulo, Tocantins e Roraima. Já a carne suína é importada de Mato Grosso e do Rio Grande do Sul.


O secretário lembrou que além dos países da União Européia, o maior mercado isolado para a carne brasileira é a Federação Russa. Nos últimos meses, países como a Inglaterra e a Irlanda têm promovido discussões em favor do embargo à carne brasileira. Ontem (4), cinco deputados do Parlamento Europeu iniciaram uma campanha para banir da região a carne bovina brasileira, sob a alegação de risco à saúde após os registros de febre aftosa no país.


Para Inácio Kroetz, a avaliação dos parlamentares não se baseia em dados concretos: “Isso é fruto de uma investigação clandestina realizada aqui no Brasil e é absolutamente desprovida de crédito, porque não é oficial, não respeitou qualquer parâmetro”.

O secretário também adiantou que o Brasil deverá investir US$ 750 mil por ano, até 2011, no combate à febre aftosa na divisa de Mato Grosso com a Bolívia. Os recursos sairão do Fundo para a Convergência Estrutural do Mercosul (Focem).
“É a forma encontrada pelo Brasil para cooperar com os países vizinhos que têm problema com a aftosa. Nós não teremos um Brasil livre e seguro enquanto o vírus circular na América Latina”, disse.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 22 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Segunda, 21 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Domingo, 20 de Maio de 2018
15:18
Cassilândia/Itajá
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)